E assim continuamos nossa reflexão Sarará…

Por Augusto Nascimento, Coordenador de Comunicação Festival Sarará

Sentimos, refletimos e estamos vivendo. A energia Sarará explode no peito e pulsa no dia a dia de todo mundo que aceitou o desafio de construir um festival em que a liberdade de sentir é o que nos move. Em cada troca de olhares, suspiros e sorrisos, entendemos, cada vez mais, que a conexão de pessoas é o caminho para um mundo mais harmônico.

Time formado. Café servido. Mente fervendo.

Era hora de achar o caminho para alcançar o festival que queremos. Foi pensando com o poeta paulista que fomos despertados para aquilo que diz “o que você quer nem sempre condiz com o que o outro sente”. Missão entendida.

Para chegarmos em um universo de harmonia, decidimos refletir sobre um sentimento que todos carregamos, direta ou indiretamente, e que nos faz acreditar no intolerável. Vamos falar de (IN)TOLERÂNCIA.

Sentir para despertar. Respeitar para conviver. É girando nessa mandala de sentimentos que fomos buscar na arte da MC da favela, que rima a injustiça social e se afirma como mulher, algum entendimento de (IN)TOLERÂNCIA.

“O não direito de você ser o que você quer ser”, é como ela afirma o sentimento de (IN)TOLERÂNCIA, e o que nós também acreditamos. É nesse contexto que usamos o espelho para nos encarar, que seguimos nossa jornada para viver no mundo em que o (IN) não faz parte de TOLERÂNCIA.

E assim continuamos a jornada que nos permite ser livres e menos intolerante. Sinta a energia Sarará e diz pra gente como podemos ser menos intolerantes.

Por Augusto Nascimento, Coordenador de Comunicação Festival Sarará