A verdade é uma pedra preciosa. E deve prevalecer na comunicação

FGCom
FGCom
Mar 19 · 3 min read

Em todas as áreas, todos os dias, algo novo surge e é preciso se reinventar o tempo todo. Já falei sobre isso em alguns artigos que escrevi. O jornalismo e, consequentemente, os jornalistas estão constantemente em busca desta reinvenção.

A tecnologia mudou nossa forma de se comunicar. Criou novos “veículos” de comunicação e hoje há muitos influenciadores considerados mais importantes que jornalistas e seus veículos. Até mesmo os presidentes se comunicam via rede social, passando por cima de seus porta-vozes e assessores de imprensa.

Não vejo mal em mudar, acho que é sim necessário deixar a zona de conforto e buscar evoluir. Mas ainda me preocupo muito com a forma como algumas informações chegam hoje às pessoas. Sem ouvir os dois lados, sem uma fonte confiável, tem horas que é difícil saber qual é a verdade. Mas muitos acreditam e não checam nada, repassam e assim seguimos com uma enxurrada de Fake News.

Todas essas mudanças também refletem no mercado de trabalho e fico indignada ao ver alguns anúncios para vagas de jornalistas formados, diversas exigências, por um salário… Com todo respeito, em alguns casos, para ganhar menos que uma pessoa sem formação alguma.

As assessorias de imprensa também sofrem com tudo isso. Muitos clientes não valorizam a experiência, o relacionamento sólido e de credibilidade construído ao longo dos anos com a imprensa e os diferenciais de um bom assessor. Estão preocupados com o preço. Pagam pouco para uma agência menor ou um profissional sem boa formação e depois se decepcionam, dizem que assessoria não dá retorno e por ai vai.

Sim, a forma de atuar como assessor de imprensa também mudou. Press release deixou de ser a única forma de se comunicar com a imprensa faz tempo. E o cliente não quer mais só estar na imprensa também. Quer aparecer ou ser citado nos canais de Youtube e redes sociais de influenciadores. Quer ter um blog, produzir um E-book para ganhar leads, criar conteúdos especiais para falar diretamente com seu público, passando a mensagem que realmente deseja.

Mas como qualquer pessoa pode criar uma rede social, um blog, um canal de Youtube, muita gente não valoriza e não vê que o jornalista ou o assessor de imprensa seriam um dos profissionais mais adequados para ajudar neste processo. Essa comunicação não deveria ser feita sem um planejamento, sem um conhecimento do que é ou não relevante, o que cabe em um determinado canal de comunicação ou não.

Um erro ou um mal-entendido hoje nas redes sociais podem provocar perdas e danos irreparáveis. Para pessoas e companhias. Por isso, vale a pena investir num trabalho realmente especializado e dedicado.

Encerro essa coluna com um texto de autor desconhecido, que li uma vez na internet, e que me deu a inspiração para escrever e dar o título a este artigo:

“Um dos grandes desafios da humanidade é aprender a arte de comunicar-se. Da comunicação depende, muitas vezes, a felicidade ou a desgraça, a paz ou a guerra.

Que a verdade deve ser dita em qualquer situação, não resta dúvida. Mas a forma com que ela é comunicada é que tem provocado, em alguns casos, grandes problemas. A verdade pode ser comparada a uma pedra preciosa. Se a lançarmos no rosto de alguém pode ferir, provocando dor e revolta. Mas se a envolvemos em delicada embalagem e a oferecemos com ternura, certamente será aceita com facilidade”.

Fernanda Gonçalves

Diretora Executiva da FGCom

Assessoria de Imprensa / Comunicação

Quer saber mais? Conheça o nosso site: www.fgcom.com.br

FGCom

Written by

FGCom

Assessoria de Comunicação / PR