Ninguém quer entrevistar um robô, mas pense bem antes de dizer/escrever o que quer

Ninguém quer entrevistar um robô. Mas a gente ouve cada coisa nas entrevistas, lê cada barbaridade nas redes sociais de famosos, que é difícil, viu? Todos os anos, fazemos media training com nossos clientes na FGCom. É muito importante se relacionar bem com a mídia, os jornalistas e, agora mais do que nunca, saber como se expor nas redes sociais.

Todo atleta, celebridade, empresário, executivo, entre outros, tem sua história, sua formação, sua personalidade. Não dá para exigir que uma pessoa tímida vire o rei do stand up comedy só porque está sendo entrevistado. Nem que um jovem atleta saiba opinar sobre assuntos que fujam do seu dia a dia. Mas tem algo que pode ajudar em tudo na vida: educação e respeito.

Além disso, um bom media training auxilia os porta-vozes a lidar com momentos de crise, diante de questionamentos embaraçosos, a sair de perguntas tendenciosas, que visam gerar polêmicas, a passar realmente a mensagem que desejam, da melhor forma possível.

E, para isso, não precisa ser um robô, deixar de expor sua opinião, mas saber como e quando fazer isso da melhor forma possível. Com fatos concretos ou pontos que possam defender sua opinião.

Escrevo sobre isso porque tenho visto algumas coisas, especialmente nas redes sociais, que assustam. Atletas fazendo comentários, por exemplo, que só têm o objetivo de ferir um rival, gerar polêmica e ganhar likes.

Mas isso vale a pena? Seu patrocinador vai gostar deste tipo de postura? Seus fãs não podem se incomodar?

Sempre que for falar algo em uma entrevista ou publicar nas redes sociais sobre um tema polêmico, pare e pense: preciso realmente postar isso, dizer isso? O que ganho com isso? O que posso perder com isso?

E, como eu disse acima, educação e respeito não fazem mal a ninguém. Muito pelo contrário…

Fernanda Gonçalves

Diretora Executiva da FGCom

Assessoria em Comunicação

Quer saber mais? Conheça o nosso site: www.fgcom.com.br