É realmente necessário estudar Literatura?
Yuri Pires
325

Achei o texto bem interessante e bem escrito, e, embora ache a ideia de “ser no mundo” bem pesada e densa para um texto curto deste, acho que ela foi tratada com uma naturalidade que permite desenrolar o argumento. O bom argumento, por sinal, embora não seja o meu argumento. Infelizmente, a vida é feita de escolhas, e assumindo que nenhuma é moralmente melhor do que a outra a princípio, e as experiências são diferentes, me parece que há uma pressuposição escondida na ideia de que a literatura é importante porque permite viver outros mundos (a ideia de que viver outros mundo é importante, no caso). Porque digo isso? Porque muito se fala de que certas experiências, tipo uma vida cosmopolita, são mais ricas; mas ela é incomparável com uma vida não-cosmopolita (interiorana, digamos) e não compatível. Cada uma dessas vidas, assim como ler e não ler, é diferente; a experiência de ler não inclui a de não ler… nesse sentido, cada experiência é única e irredutível.

Bom, não tenho muito conhecimento nesse sentido, então posso não ter sido muito coerente, mas o meu argumento pela Literatura não seria por esse lado. Eu preferiria, do ponto de vista da “utilidade” — como você mesmo colocou — tratar dos efeitos do estudo da literatura na habilidade de leitura, na formação/cultivo dos estudantes, da criação de uma unidade nacional, essas coisas. Não por serem mais importantes, mas porque também existem e são mais materializáveis em um argumento.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Filipe Peixoto’s story.