A dose perfeita 1/2

Aviso logo que a dose perfeita citada aqui no título do texto se refere a uma quantidade exorbitante de aguardente e, deixando bem claro para desavisados, esse textinho pode (ou não) ser baseado em uma resenha real. Para que meus amigos entendam, qualquer semelhança com alguma história nossa, sem comentários.

Sexta-feira cinco horas da tarde e meus contatos e grupos do whatsapp já estavam começando a gerar uma quantidade imensurável de mensagens que continham as palavras “bora”, “birita” e “resenha”.

“Final de semana seu lindo, onde você estava esse tempo todo? Quase cinco dias de carência, eu já não aguentava mais um minuto longe de você.”

É isso aí, mais um começando e as opções não faltavam (inclusive esse final de semana foi bem longo, posso fazer uns quatro textos sobre ele) então resolvi focar na sexta-feira, organizar uma resenha até as nove da noite não seria uma coisa muito difícil.

Rapidamente fui no grupo que sempre converso com meus amigos do meu ex- colégio para reunir mão de obra e fui informado que ocorreria um aniversário de um deles em um prédio perto da praia, pra quê melhor?

Nem me esforcei e já tinha uma galera e um local para a resenha. A bebida seria a bebida de sempre... Fortaleza-CE e sem muito dinheiro, opções? Cachaça, limão e cerveja meu amigo, em time que está ganhando não se mexe, a regra é clara.

Com todos os itens adquiridos fomos organizar tudo no prédio cedido para a festa. Como qualquer comissão organizadora sem escrúpulos de uma resenha teria feito, viramos duas doses e uma latinha de cerveja só para começarmos a levar tudo para o freezer (vai dar ruim, podem ter certeza).

Depois da desnecessária ingestão de álcool antes mesmo de organizar a festa, começamos a por as cervejas para gelar, usamos um terço dos litros de cachaça para fazermos gummy (cachaça, Tang e Halls) e preparamos uns shots para as pessoas que fossem chegando na resenha beberem logo na entrada da festa (única forma de quebrar o gelo que conhecemos).

Agora é a hora de convocar as pessoas avulsas (festa open bar ninguém recusa, com o tempo você aprende isso) em cima da hora, cada um entrou no seu whatsapp e instagram e começou todo o processo de divulgação. Nesse dia não ter nenhuma festa famosa então esperávamos uma quantidade boa de pessoas (mas bem menos do que apareceram).

Feito isso, só nos resta acender a churrasqueira e preparar as carnes até a galera começar a chegar…

a tal da dose de aguardente

Não curto textos muito longos então esse aqui vou fazer em duas partes, sem choro porque estou pensando no seu tempinho tão precioso. Espera um diazinho que eu posto outro dizendo o que aconteceu quando essa resenha (hipotética, claro) começou…