Se eu me tornar outra pessoa

Eu queria entender, parte por parte, o que me trouxe até os 27 anos sem ambição e sem preocupação de agarrar meus sonhos com mais força.

Em algum ponto da vida eu decidi que ambição não era algo legal, e que também pode ser facilmente confundida com ganância. Talvez eu tenha perdido muitas oportunidades na vida — pessoal e profissional, por falta de ambição. Ainda acreditando que estou certo em não ser ambicioso, fica complicado enxergar se é mesmo ambição que me falta.

Quando reflito, penso que talvez seja tarde demais pra começar a ser ambicioso. Já estive perto de coisas e pessoas que muito quis, mas fui calmo, sereno. Não planejei contingências pra agarrar de vez o que eu preciso. Confiei demais na naturalidade que as coisas acontecem (sem minha interferência agressiva).

Posso atribuir minha tranquilidade de hoje às diversas frustrações que passei pela vida, das tantas oportunidades que perdi e dos tantos momentos de injustiça que presenciei. Será que eu posso, de repente, mudar quem eu sou? Eu não vou me estranhar, os outros não vão me estranhar?

Pode ser que eu esteja precisando disso, mas por algum motivo, sou apegado à quem eu sou hoje — uma pessoa sem ambição, que confia que um dia o rumo natural das coisas vai trazer algo bom, sem que eu precise driblar as pessoas ou as circunstâncias.