Projeto Dinamarca — Diário de bordo dias 1 e 2

Fim de semana de escalas, dor nos ossos e cavalos com frio

(English here)

O sábado começou com fechamento de mala e despedidas. É engraçado partir para um lugar aonde não se conhece ninguém pessoalmente e, apesar de ser só por um mês, o peso da responsabilidade de um compromisso profissional com o museu Brandts deixou a ansiedade maior do que quando viajei para os EUA com um ano de estadia.

Despedidas feitas, aeroporto alcançado, ótima notícia de que meu check-in aconteceria unicamente em Belo Horizonte e a mala viajaria direto ao meu encontro aqui em Copenhagen. Após um rápido lanche no brasileiro americanizado Bob’s deu-se início à jornada de três vôos e um trem.

Vôo SP/Frankfurt — serviço de entretenimento com filmes e conteúdo diverso

Ótimo atendimento no voo internacional de SP para Frankfurt, com filmes e conteúdo de qualidade na TV. Mas infelizmente senti alguns efeitos colaterais de pressão atmosférica que nunca havia sentido antes. Provavelmente por causa de um resquício de resfriado, fiquei com dor nas articulações durante todas as 10h de voo. Não recomendo essa sensação para ninguém.

Estava receoso de me sentir um estranho no ninho ao chegar na Europa, pois há muito tempo não me encontro em um local em que a grande maioria das pessoa fala em uma língua que não tenho nenhum domínio. Mas não houve isso. Todos muito educados e dispostos a gastar o inglês.

Praticamente 24 horas do relógio (sendo 19h na prática) se passaram desde a saída de BH até a chegada em Copenhagen. Desde que esteja disposto a perguntar e arriscar, da-se um jeito de encontrar os tickets e linhas de trem necessários para atravessar todo o país (e alguns outros no continente).

Trem muito confortável. Deve-se apresentar o ticket em um totem eletrônico nas estações de entrada e saída — detalhe que fiquei sabendo posteriormente, mas, para minha sorte, não fui cobrado por isso.

Para Odense deve-se chegar à bela Estação Central da capital dinamarquesa para então pegar a linha 7.

Estação Central de Copenhagen
Ponte férrea sobre oceano

No trajeto me deparei com modernas estações de energia eólica em paralelo com antigos conjuntos de casinhas como que em um bairro inteiramente saído de um conto dos Irmãos Grimm. A única foto que não consegui tirar foi a dos cavalos vestidos para o frio com casacos coloridos…um encanto.

Odense fica praticamente deserta e fechada no domingo, mas o Hotel Plaza fica a cinco minutos de caminhada da estação — que tem alguns restaurantes e lojas em funcionamento. Provei o prato do dia com uma cerveja sugerida pela atencioso garçom: bolas de carne quentinhas, salada de batata e legumes cozidos e cerveja Albani tradicional.

Sugestão do dia e cerveja tradicional Albani

Duas palavras para agradecer à existência da Europa: chocolates e cerveja!

Chocolates! Seven Eleven.
Display de M&M’s no Seven Eleven

Dicas por sugestões e experiência própria:

  • Para aproveitar melhor a viagem nos países nórdicos o ideal é saber alguma das língua oficiais deles por aqui, seja o alemão ou o dinamarquês. Mas dá para se virar bem com inglês, pois a maioria tem boa vontade. Em alemão e dinamarquês as palavras nunca são pronunciadas literalmente como se escreve…é bem confuso, pelo menos pra mim.
  • Troque alguns Euros por Coroas Dinamarquesas na chegada do aeroporto, pois há lugares que não aceitam a primeira moeda e tem-se que recorrer ao cartão de crédito.
  • Caso seja possível, planeje sua chegada para um dia mais movimentado que o domingo para acessar o comércio funcionando.
  • Primavera da Dinamarca é, pelo menos até então, mais fria que a maioria dos invernos encontrados no Brasil. Venha preparado logo na saída do aeroporto.

A seguir algumas fotos:

Odense
Odense Plaza Hotel — 5 minutos de caminhada da estação de trem

Pois bem amiguinhos, vou desligando por aqui. Esse primeiro post foi mais um relato de trajeto e primeiras impressões, mas a partir de amanhã teremos conteúdo interessante!

Uma boa noite, pois aqui o fuso é bem doido e tenho meu primeiro compromisso às 10h (5h no Brasil).

— — — 
email & skype: filipeccf@gmail.com
facebook.com/filipeccf
instagram & twitter: @filipeccf

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.