Tome a vida como uma área de terra fértil.

Nessa pequena área você tem a total liberdade de decisão.

Eventualmente hão de cair sementes em sua área fértil e você tem, resumidamente, duas opções. Deixar a semente se desenvolver em uma muda ou removê-la antes que brote.

Caso opte por deixar essa semente crescer, terá uma muda. E no interior dessa muda um universo de possibilidades a serem desenvolvidas com técnicas distintas de fertilização.

Com o tempo, inevitavelmente, essa muda há de se desenvolver do modo que você resolver trata-la. Caso opte por cuidar com afinco, haverá um desenvolvimento intenso e rápido. Caso opte por deixa-la crescer por conta própria e não cuidar tão bem dessa muda ela pode conseguir meios de se desenvolver ou simplesmente deixar de viver.

Se criando sozinha, ou sendo acompanhada de perto por você, essa muda irá crescer e virar uma planta. E nessa fase planta é o momento em que você começa a tomar ciência do rumo que essa muda seguiu e se quer alterá-la com uma diferente abordagem de jardinagem ou fertilização. Naturalmente, por mais que não tenhamos consciência nesse momento, a planta cresce tanto quanto suas raízes se afundam em nosso campo fértil.

Seja qual for o meio que você escolheu para criar essa planta, ela já possui uma maior capacidade de se desenvolver sozinha e naturalmente, sem muita intervenção. O tronco há de engrossar cada vez mais. Vários ramos se criarão naturalmente, mas você pode podá-los como achar conveniente, mesmo que com resistência por meio deles. Ramos que gerarão folhas criando sombra em determinadas e refrescando outras. Ramos que gerarão frutos cuja qualidade depende de cuidado e/ou de um ambiente propício para seu desenvolvimento e que te alimentarão. E as raízes cada vez mais grossas e profundas, quase sempre continuam a ser ignoradas por estarem escondidas.

Essa árvore passa a ocupar um espaço significativo em seu campo. Faz sombra sobre algumas sementes, mudas e plantas e gera adubo para outras. Combate ervas daninhas e parasitas que tentam dominá-la, mas o desempenho delas depende diretamente de como você a cuida. O crescimento dela é inevitável, mas a direção que seguirá pode ser ajudada por você. É impossível ignorar uma árvore desse porte em seu campo e, em determinado momento, a influência positiva ou negativa que ela tem sobre seu pedaço de terra se torna tão clara como a luz que a ilumina.

Nesse momento, que pode demorar muito tempo para chegar, você precisa refletir muito sobre o futuro dessa árvore em seu campo fértil. E há, de forma simplificada, duas opções. Manter a árvore ou removê-la por completo. Se escolher mantê-la, a influência dela sobre seu campo, seja positiva ou negativa, vai continuar a existir e dependerá de seu cuidado para que se desenvolva num caminho bom para você. Tentar ignora-la vai fazê-la seguir um caminho orgânico e muitas vezes seus ramos e raízes talvez cheguem a locais indevidos e atrapalhem o desenvolvimento das outras plantas de seu campo. Caso escolha removê-la, ou caso ela morra por causas naturais, esse processo geralmente é dolorido e impactante. E sempre vai restar um vasto e profundo buraco das ignoradas raízes.

Você vê o seu campo ferido. Maculado por uma marca feita por tanto tempo de imersão. Nesse momento o mais prático é ignorar a existência desse buraco, mas não é fácil algo tão grande passar despercebido. E, quando você resolve encarar a situação, há a possibilidade de cobri-lo com terra, que simplesmente essa loca deixe de existir e se campo siga num novo ritmo. Mas seria essa a forma mais saudável?

Em suas mãos há um campo fértil, que sobrevive por todas as intempéries e dificuldades e está sempre disposto a receber novas sementes e sustentar mudas, plantas e árvores de acordo com o seu cuidado. Seria o mais inteligente esconder algo que te entristece pelas lembranças de uma grande árvore, ou aproveitar esse já criado buraco, em uma área de seu campo que recebeu anos de fertilização, para que novas sementes encontrem morada?

Seu campo há de seguir sempre, como sua vida. Novas sementes sempre cairão por lá e o destino delas depende quase que exclusivamente de suas escolhas. Se você vai cativar, cuidar, preservar, se alimentar e transformar cada nova planta ou árvore é o que fará diferença no futuro de seu pedacinho de terra.

No fim das contas, você vai descobrir que seu pedaço não é tão pequeno assim e que seus vizinhos estão sempre por aí, muitas vezes tão ignorantes de sua existência quanto você da deles, dispostos a trocar técnicas, mudas ou simplesmente a te ajudar a apreciar seu belo campo florido.

— — — 
email & skype: filipeccf@gmail.com
facebook.com/filipeccf
instagram & twitter: @filipeccf

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.