Sobre Escritos:

já escrevi sobre amar, 
se banhar em águas frias no calor insuportável de um peito que arde. 
se jogar de precipícios e esperar até o ultimo segundo pra voar, 
e voar sempre mais e mais alto, ao lado de alguém.
já escrevi sobre sofrer, 
a água quente que escalda a pele já sensível de queimaduras.
e perceber, um milésimo antes do chão, que já não consegue voar,
esparramar-se com a cara na areia fofa que arrebenta até os ossos que você sequer sabia da existência.
mas nunca fui ou senti-me apto a escrever sobre viver, 
sem explosões monstruosas de sentimentos.
a criatividade me contempla, apenas com reações químicas exorbitantes, desafiando a lógica da escrita.
tornando-me um rascunho indecifrável numa noite fria.

Like what you read? Give Filipe Punhagui a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.