As melhores maneiras para guardar dinheiro- que funcionam até com consumidores impulsivos

Thabata Abreu
Jan 29 · 7 min read

Você já deve ter percebido que para conquistar as coisas que deseja terá que fazer bons investimentos, consumir de forma consciente, ter estratégias e economizar. No meu último artigo falei sobre como definir e realizar objetivos financeiros.

Agora vou compartilhar as melhores maneiras para guardar dinheiro de forma sustentável ao longo do tempo, e elas funcionam inclusive para consumidores impulsivos.

Na internet existem diversos guias para guardar dinheiro, mas a maioria deles não ensina como lidar com as principais dificuldades em economizar. O problema é que não bastam as técnicas corretas, você precisa construir o sistema e a mentalidade corretos para ter resultados.

E, mais importante, é necessário colocar em prática o conhecimento obtido. Não será uma tarefa fácil, mas com determinação e resiliência estou certa de que você alcançará os resultados que deseja.

Deixe o passado no passado

Você pensa constantemente sobre os seus erros e dificuldades em lidar com o dinheiro?

Se sim, estes pensamentos o impedem de conquistar o que deseja. Eu entendo que você gostaria de voltar no tempo e evitar as frustrações ou as coisas negativas que aprendeu com relação ao dinheiro, mas morar no passado e reviver os traumas constantemente impedem que você esteja livre para construir o seu futuro.

Por isso, organize as lembranças e sentimentos conflituosos, e relacione-os diretamente aos aprendizados que eles trouxeram. Nada acontece por acaso, então pergunte a si mesmo: o que eu tenho a aprender com essa situação? A concepção que eu tenho hoje sobre o dinheiro pertence a mim, a alguém ou ao ambiente que faço parte? Como eu posso usar o que sei sobre dinheiro para viver de forma consciente e satisfatória?

Carol Dwek, no livro Mindset- A Nova Psicologia do Sucesso, mostra que realizar objetivos em diferentes áreas da vida não se deve somente a um talento ou habilidade especial. Isso é resultado da maneira como encaramos a vida e as dificuldades que surgem, ou seja, depende muito mais da nossa mentalidade.

“A velha ordem muda e cede lugar à nova.”

Robert Tenhyson

Anote o seu progresso. Faça um acompanhamento diário das suas decisões financeiras e de como se sente com relação ao dinheiro. Assim você terá clareza das suas conquistas, fraquezas e dos ajustes que precisa fazer para alcançar seus objetivos.

Colocando cada coisa no seu lugar: o passado no passado, vivendo o presente e definindo seus objetivos futuros, você equilibra a sua energia e abre espaço para permitir novos paradigmas e propósito para as suas finanças.

Para a minha organização pessoal e profissional tenho usado o Método Bullet Journal que é uma ferramenta super poderosa para mapear e entender os padrões comportamentais de qualquer área da vida. No próximo artigo falarei sobre como usar este método para gerenciar as finanças.

Use a tecnologia a seu favor

Se você já tentou acompanhar manualmente os seus gastos, deve ter percebido o quão difícil (apesar de simples) esta atividade é. Eu mesma consegui por apenas dois anos fazer esse tipo de controle. Imagina ter essa rotina para o resto da vida? Não parece uma ideia muito legal.

Utilize ferramentas analíticas poderosas como o GuiaBolso para fazer o trabalho de mapeamento para você. Este aplicativo permite o monitoramento e a classificação automática de todas as movimentações financeiras feitas através de cartões e contas- correntes.

Muitas pessoas não se sentem confortáveis com esse tipo de serviço, por isso seguem algumas informações para ajudá-lo a rever seus conceitos:

  • O aplicativo segue a lei do sigilo bancário
  • Ele apenas registra e categoriza as entradas e saídas dinheiro, não faz movimentações (diferente do que acontece com um e-commerce, por exemplo)
  • Os dados pessoais e informações financeiras são criptografados
  • Neil Daswani, professor de Stanford e ex- VP de segurança do Twitter, é o responsável pela concepção da arquitetura de segurança do aplicativo

Com essa ferramenta você consegue visualizar os seus padrões de receitas, despesas, criar metas para os seus projetos e planejar o quanto irá gastar com Gastos Essenciais, Estilo de Vida e Prioridades Financeiras nos próximos meses.

Economizar dinheiro para realizar os seus objetivos é apenas metade do trabalho, ser consistente é a outra metade. Evite perder tempo e energia com atividades que podem ser realizadas por robôs e concentre-se em fazer aquilo que nada nem ninguém poderá fazer por você: criar novos hábitos.

A verdade sobre por quê você falhou até agora

A série norte-americana Mad Men: Inventando a Verdade, super premiada e disponível na Netflix, conta a história de uma agência de publicidade fictícia- a Sterling Cooper, em Nova York, na década de 1960.

A história mostra a rotina de Don Draper, diretor de criação, e sua equipe na elaboração de peças publicitárias de sucesso para grandes empresas. O principal desafio das personagens é despertar o desejo de consumo, feito com maestria através da conexão entre o produto e uma necessidade emocional do espectador.

Em nenhum dos episódios foi criada uma peça para mostrar a importância de consumir de forma consciente ou sobre como lidar com o dinheiro. Nossa cultura está fundamentada no ter para ser e a educação financeira em larga escala é um fenômeno recente. Arquitetura perversa.

Economizar dinheiro não é sexy. Se fosse, todo mundo falaria abertamente sobre o assunto na tentativa de aprender coisas novas sobre como economizar. Algumas pessoas são poupadoras naturais, mas a maioria é gastadora impulsiva.

Se você é um gastador impulsivo, aceite isso. Não tente economizar de 60% a 70% da sua renda se isso significar uma vida miserável. Economizar dinheiro não é uma corrida, é uma maratona. E o que estamos falando aqui é de você começar a usar o seu dinheiro para o que realmente faz sentido, para o seu propósito.

Comece por precificar o quanto você precisa para fazer as coisas que gosta. É muito mais produtivo você estar feliz e conseguir economizar R$ 200 durante 12 meses ao invés de conseguir guardar R$ 600 durante três meses (e gastar mais tarde).

Grande parte das pessoas enfrenta problemas porque cria orçamentos configurados para darem errado. Todo novo hábito precisa de uma recompensa, e só porque você está comprando coisas legais e fazendo o que gosta, não significa que não irá realizar os seus objetivos financeiros.

Aqui estão algumas regras que você deve seguir:

  • Olhe para cada uma das suas despesas dos últimos três meses e calcule o quanto você consegue economizar em cada categoria de gastos
  • O recomendado é que pelo menos 20% da sua receita seja destinada para as prioridades financeiras: poupança e investimentos
  • Inicie o mês investindo o valor que você estipulou no item anterior
  • Configure transferências automáticas para os investimentos ou contrate um consultor financeiro para cobrá-lo mensalmente
  • Utilize o valor restante para pagar as contas essenciais e para gastar com as coisas que tem vontade

Lembre-se: você pode comprar qualquer coisa, mas não tudo.

Como se proteger de compras indesejadas

Finanças pessoais é um jogo: no tabuleiro da vida, você precisa definir onde quer chegar, que experiências deseja viver, batalhar para ficar cada vez melhor profissionalmente e conquistar a quantidade de dinheiro que precisa, poupar quando for possível e fazer bons investimentos.

Se você faz compras no piloto automático e depois percebe que não era necessário, você precisa criar um espaço positivo entre o desejo da compra e a consumação dela para que o sistema 2 do seu cérebro, o lado racional, tenha tempo de agir.

Em economia comportamental chamamos isso de nudges, uma palavra de origem inglesa que significa encorajar de forma sutil. Esse tipo de lembrete pode ser visto em políticas públicas nos avisos de “pare de fumar” atrás dos maços de cigarros e em ações de “se beber, não dirija”, como a que a Heineken produziu recentemente.

Confira alguns nudges que você pode criar para se relacionar melhor com o seu dinheiro:

  • Colocar um post it dentro da carteira (em lugar visível), com as perguntas:
  • Eu realmente preciso disto? Eu me planejei financeiramente para isto? Se eu comprar isto agora, irei me arrepender depois?
  • Trocar os cartões de lugar dentro da carteira
  • Pedir um cartão com limite menor (dentro do orçamento), para usar durante o mês e deixar os outros cartões em casa
  • Tirar uma quantia fixa de dinheiro para ser gasto durante a semana (e não usar o cartão)

Entre tantos outros que você mesmo pode criar. Dizer simplesmente a si mesmo que você terá disciplina para não comprar as coisas por impulso não irá funcionar. Isso é o mesmo que ter porcarias na geladeira quando você resolveu se alimentar de forma saudável: é apenas uma questão de tempo até você escorregar. Os nudges ajudarão a manter vivo na memória o seu compromisso consigo mesmo em usar melhor o dinheiro.

Transforme- se em uma máquina de guardar dinheiro

Economizar não é tão complicado quando se torna um hábito. Ao reconhecer os seus erros e fraquezas e se recompensar depois de atingir a meta mensal de poupança, você cria um cenário positivo não só para o seu dinheiro, mas para a sua vida.

Tire algumas horas para organizar seus objetivos financeiros e traçar uma estratégia para alcançá-los. Automatize tudo o que for possível e pague- se primeiro antes de colocar o dinheiro para circular.

Não perca tempo tentando se tornar especialista em uma área que não é o seu ponto forte e que você não tem energia e disposição para dedicar horas de estudos para desenvolver. Foque em aprimorar os seus talentos e administrar seus pontos fracos. Este é o caminho para alcançar as coisas que você deseja e viver com propósito.

Qual é o seu principal desafio com relação ao dinheiro? Compartilha comigo nos comentários.

Aprofunde o seu conhecimento sobre Planejamento Financeiro e Gestão de Investimentos. Conheça mais sobre o Finanças com Propósito e agende um horário para conversarmos. Trabalho para ajudá-lo a transformar os seus objetivos em realidade.

— — —

  • Thabata Abreu: consultora financeira, criadora do Finanças com Propósito. Sou especialista em finanças pessoais, ajudo as pessoas a conquistarem seus objetivos através do planejamento financeiro e gestão fiduciária de investimentos. Economista com experiência no mercado financeiro, utilizo a economia comportamental como ferramenta para criar uma relação consciente e sustentável com o dinheiro.
  • Siga minhas atividades nas redes: LinkedIn, Instagram e Facebook
Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade