Como definir e realizar objetivos financeiros

Thabata Abreu
Jan 14 · 7 min read

Se planejar financeiramente pode colocar qualquer pessoa em uma situação de ansiedade. Eu mesma costumo ficar bastante aflita na semana entre o Natal e o Ano Novo, que é quando geralmente faço a revisão completa do meu orçamento e estabeleço metas para o ano seguinte.

Verdade seja dita, é mais fácil falar do que fazer. É por isso que tantas pessoas postergam o assunto até não poderem mais, e passam anos com o desconforto da pendência de um dia avaliar se as decisões financeiras estão corretas ou precisam ser ajustadas.

Mas alguém já disse a você que atingir objetivos financeiros não precisa ser uma tarefa difícil?

Neste artigo compartilho algumas técnicas para definir objetivos financeiros e torná-los realidade de uma forma mais leve.

Vamos começar com a definição de objetivos.

Como Definir Objetivos Financeiros

Objetivo é aquilo que se pretende alcançar quando se realiza uma ação. O problema é que nem sempre temos clareza dos resultados que teremos com as nossas ações.

Com a correria do dia a dia, compromissos, relacionamentos, trânsito, trabalho, toneladas de informações a serem processadas, etc, agimos de forma automática e frequentemente somos assaltados por questionamentos que nos levam a pensar se vivemos uma vida com propósito.

O que fazer para organizar as ações diárias de forma que o nosso comportamento esteja alinhado com a realização dos objetivos?

1. Tenha clareza do que pretende alcançar

Qualquer objetivo (financeiro ou não) que não seja claro e bem definido não é um objetivo, é um sonho. E tudo bem você sonhar com as coisas que deseja, mas nenhum sonho sem ação se transforma em realidade.

Poupar nada mais é do que postergar o consumo. De forma que, para ter a motivação de poupar o que é necessário hoje, você precisa saber exatamente o benefício que terá no futuro. Pode ser qualquer coisa como aposentadoria, viagem, comprar uma casa, mudar de carreira, tirar um sabático.

Uma vez que o objetivo está claro, coloque um valor monetário e uma data para realizá-lo. É importante nesta etapa que você crie uma lista com todos objetivos que tem na vida, não importa se é pequeno ou está distante, escreva seus objetivos.

A visão do todo permitirá que você estabeleça prioridades e estratégias para o que será realizado. Na planilha de orçamento Finanças com Propósito você encontrará uma aba específica para colocar em prática este exercício.

2. Seja realista

É muito bom ser otimista, mas coisas grandes demandam mais dinheiro e precisam de tempo para serem atingidas. Se você estabelecer metas muito agressivas, possivelmente não conseguirá cumpri-las.

Por isso, é importante manter os objetivos desafiadores, mas dentro do que é possível realizar. Para ter foco, comece com três objetivos. Quais são as três coisas que você irá realizar daqui um ano, três anos e cinco anos? Quanto você precisa economizar anualmente? Quais são as coisas que você pode abrir mão hoje para viver as experiências que deseja?

Quebre o seu objetivo em metas atingíveis e revise essas anotações mensalmente. Isso o lembrará daquilo que realmente é importante quando um gasto não planejado bater à sua porta.

“Não adiemos nada. Equilibremos a conta da vida todos os dias. […] Aquele que dá os toques finais em sua vida diariamente nunca precisa de tempo.”

Sêneca, cartas a Lucílio.

3. Faça os juros trabalharem para você

No livro O valor do Amanhã, o economista Eduardo Giannetti mostra que os juros são um fenômeno tão natural quanto a força da gravidade e a fotossíntese, e você lida com eles diariamente quando faz dieta, exercícios físicos ou estuda para alguma prova.

Quando deixa de usufruir alguma coisa que gosta hoje, é na esperança de obter uma recompensa maior no futuro. Portanto, quando estabelecer o valor dos seus objetivos financeiros contabilize a inflação e considere os juros corretos como retorno do seu esforço e comprometimento. Este é um resultado seu, por direito.

4. Curto Prazo e Longo Prazo

Assim como as calorias que compõem os alimentos não são as mesmas, as abordagens para atingir os objetivos financeiros também não serão as mesmas. Para objetivos de longo prazo, você terá melhores resultados se criar estratégias compostas.

Como regra geral, objetivos de curto prazo são aqueles a serem realizados em até três anos. E, em termos de investimentos, é recomendado que você aplique em opções de menor risco.

Para os objetivos de longo prazo, você deve fazer uma composição de produtos que te proporcionem um retorno melhor. E se volatilidade é uma palavra que provoca medo, pense que você tem o tempo a seu favor, e poderá corrigir a rota sempre que necessário.

Vamos entender como alcançar os objetivos financeiros:

Como alcançar seus objetivos financeiros

Para alcançar objetivos financeiros você deve ter em mente duas etapas que compõem o processo:

  • Guardar dinheiro de maneira sustentável
  • Fazer investimentos inteligentes

Você precisará encontrar formas sustentáveis de economizar e descobrir quais são as melhores alternativas disponíveis para fazer as suas economias renderem, e assim reduzir o tempo e o esforço necessários para transformar seus objetivos em realidade.

No próximo artigo falarei sobre como guardar dinheiro de maneira sustentável. Por agora, vamos entender o que significa fazer investimentos inteligentes:

Como investir de forma inteligente

Economizar é importante, mas a economia por si só não leva ninguém muito longe. Uma reserva financeira quando investida com sabedoria pode fazer maravilhas, e nessa etapa vou compartilhar o caminho das pedras para conseguir melhores resultados.

5. Converse com os especialistas corretos

Ninguém insistirá para que você faça boas escolhas de investimentos. Quando alguma coisa é realmente boa, quem intermedeia o processo sabe que permitir que as pessoas sejam informadas da existência dessas boas oportunidades é suficiente para receber um pedido de reunião com mais informações.

A maioria dos serviços financeiros começa oferecendo rentabilidades melhores do que você tem hoje, mas pecam com o acompanhamento da carteira terminando por não entregar os melhores resultados ao longo do tempo.

Por isso, é importante buscar conselho e assessoria com profissionais que tenham alinhamento de interesses com os seus objetivos, ou seja, que ganhem quando você ganhar e também percam quando o mercado estiver em baixa.

Desta forma, o profissional terá incentivos financeiros diretos para que você esteja sempre com os melhores produtos contratados e com a melhor rentabilidade possível para o seu perfil de investidor.

Esses profissionais são conhecidos como fiduciários e costumam cobrar um percentual fixo pré- acordado sobre o patrimônio administrado. É o que chamamos de alinhamento de interesses no mercado financeiro.

6. Escolha os investimentos com sabedoria

Embora o seu assessor financeiro indique bons instrumentos de investimentos, não custa saber um pouco sobre eles.

Assim como disse Rousseau, “o homem é bom por natureza, é a sociedade que o corrompe”, nenhum instrumento de investimento é essencialmente ruim. É a má utilização deste instrumento que pode trazer resultados indesejados.

Antes de escolher um produto financeiro procure saber quais são as regras, riscos e expectativa de retorno com esse investimento.

Um produto que está em alta porque paga boas comissões aos vendedores é o COE- Certificado de Operações Estruturadas. A maioria promete altos retornos sem risco (capital protegido) se determinados parâmetros forem atingidos. Caso contrário você resgata exatamente o valor investido depois de um prazo.

O problema é que na maioria das vezes esses parâmetros são irreais e certamente não serão atingidos, e você resgatará um valor que sequer foi corrigido pela inflação. Neste caso, o risco é altíssimo uma vez que você poderia obter melhores resultados com outras opções disponíveis no mercado.

Por isso, antes de comprar o produto, estude se os parâmetros para a rentabilização são factíveis, pesquise o histórico de retorno do investimento e avalie se é uma opção adequada. Se você não estiver disposto a fazer essa análise, pague a alguém para fazê-la ou, no limite, simplesmente não contrate.

7. Respeite a si mesmo

O retorno é proporcional ao risco. Quem procura por resultados exorbitantes deve estar ciente de que poderá perder volumes exorbitantes de dinheiro também. Se este é um cenário que não o assusta, vale a pena procurar por investimentos mais agressivos cujos resultados superam as principais referências do mercado.

Mas se você prefere retornos consistentes ao longo do tempo, que superem as principais referências, mas ofereçam proteção nos momentos de crise, é importante adotar estratégias que distribuam o valor investido em diferentes classes de ativos.

Por isso, mantenha atualizado o seu perfil de investidor e respeite as proporcionalidades recomendadas. Você pode fazer isso sozinho ou contratar um especialista para orientá-lo na alocação e o acompanhamento da rentabilidade dos seus investimentos ao longo dos anos.

8. Meça, meça, meça

Todos medimos muito bem o nosso progresso quando se trata de ganhar mais dinheiro, mas falhamos miseravelmente quando se trata de medir o retorno dos nossos investimentos.

Se há uma única etapa que pode colocar ladeira abaixo os esforços para a realização de objetivos, a etapa é esta.

A falta de clareza na mensuração do progresso ao longo do tempo não permite saber se a taxa de poupança e estratégias de investimentos estão adequadas. E, infelizmente, a forma como as plataformas de investimentos disponibilizam essas informações hoje dificulta substancialmente o trabalho de acompanhamento do retorno global da carteira.

Meça sempre! Esta é a única forma de você ter a clareza que precisa para se manter motivado ao longo do tempo e fazer os ajustes necessários.

Seguindo estes passos tenho certeza que você passará a ter uma visão mais organizada e estratégica das suas finanças. Se você quer realmente ter propósito na forma como se relaciona com o dinheiro, já viu que é trabalhoso. Mas este é o caminho para definir e realizar objetivos financeiros.

Aprofunde o seu conhecimento sobre Planejamento Financeiro e Gestão de Investimentos. Conheça mais sobre o Finanças com Propósito e agende um horário para conversarmos. Meu trabalho é ajudá-lo a transformar os seus objetivos em realidade.

— — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — -

  • Publicado originalmente em financascomproposito.com.br
  • Thabata Abreu: consultora financeira, criadora do Finanças com Propósito. Sou especialista em finanças pessoais, ajudo as pessoas a conquistarem seus objetivos através do planejamento financeiro e gestão fiduciária de investimentos. Economista com experiência no mercado financeiro, utilizo a economia comportamental como ferramenta para criar uma relação consciente e sustentável com o dinheiro.
  • Siga minhas atividades nas redes: LinkedIn, Instagram e Facebook
Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade