Como perder o medo de investir?

Photo by Jason Strull on Unsplash

O Brasil é um país muito instável política e economicamente.

Grande parte dos jovens e adultos de hoje presenciaram ao menos uma situação digna de deixar o cabelo em pé: hiperinflação na década de 80, confisco da poupança na década de 90, escândalos de corrupção na primeira década do século XXI, impeachment presidencial em 2016 … e não pára por aí.

Estamos em uma fase extremamente desafiadora para a economia, com inflação generalizada, desorganização das contas públicas, eleições presidenciais polarizadas.

Tudo isso para dizer que, diante de tanta surpresa, dia após dia, é natural ter medo de investir.

Afinal, nunca sabemos o que pode surgir amanhã.

Mas investir é a única forma de mudarmos a nossa situação financeira atual ou de garantir que poderemos sustentar o padrão de vida desejado no futuro.

Por isso, para perder o medo de investir, além de estudar sobre o assunto, podemos considerar os riscos e perdas associados em não investir (que nem sempre são ruins!).

Vamos lá?

1) Não investir — e não ter nenhum dinheiro guardado- nos deixa vulneráveis a coisas não planejadas que podem acontecer, como uma batida de carro, uma pessoa querida que vai se casar em outro, uma gravidez inesperada, a morte de um parente de primeiro grau ou um curso que você quer muito fazer e que fecha as inscrições em breve!

Para lidar com essas situações, é comum recorrer a créditos caros como cheque especial, aumento na utilização do limite do cartão de crédito (quando ainda existe) e empréstimos pessoais.

E investir com uma despesa dessas no orçamento fica muito difícil.

2) Deixar o dinheiro parado na conta corrente nos faz perder dinheiro porque não há nenhuma remuneração digna em deixar os bancos ganharem dinheiro com o nosso dinheiro. Sim, os bancos ganham dinheiro com o dinheiro parado em conta e se você fez isso no último ano, perdeu R$ 44 para cada R$ 1.000 que ficaram lá parados.

3) Investir na poupança está rendendo ainda menos do que rendia antes. Com a Selic até 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic+ TR (que está em zero). E quando a Selic ultrapassa 8,5% ao ano (atualmente está em 9,25%), a poupança rende 0,5% ao mês (6,17% ao ano), ou seja, você perde R$ 30,80 para cada R$ 1.000 que estão investidos na poupança.

Esses cálculos consideram uma remuneração de 100% do CDI, acessível a todo mundo que tem conta em banco, com garantia do FGC para até R$ 250 mil por CPF, por CNPJ (a mesma segurança da poupança). Não consideram a inflação, que resultaria em perdas ainda maiores.

Sobre mim:

--

--

--

Finanças com Propósito

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Thabata Abreu

Thabata Abreu

Finanças com Propósito

More from Medium

Great Salespeople Own Their Mistakes. This Is How They Do It!

5 Reasons Why Your Sales Team is Underperforming

We Created A “Santa” with a Helmet — Here’s What I Learned

“It wasn’t me”: Shaggy, Dancehall, Eddie Murphy, and Learning about Entrepreneurship through the…