Ingressos e o nosso DNA

O ano é 2011, o programa é caldeirão do Hulk.
Um professor de futebol de uma ONG no complexo do Alemão (Pós pacificação), escreve uma carta pro programa, pedindo ao Luciano uma oportunidade pro menino talentoso fazer "peneira" no Flamengo.
Órfão, de familia completamente desestruturada, muita pobreza em volta do menino, uma casa com chão batido, eis que um menino sorridente e cheio de esperanças aparece.
Conversa vai, conversa vem, o apresentador do programa faz uma pergunta ao menino, "Qual é o maior sonho da sua vida?"
Eis a resposta: -Uma camisa do Flamengo!
Estupefato o apresentador do programa refaz a pergunta, explicando ao menino... "Não, não, você não entendeu, você pode pedir o que você quiser, qual é o maior sonho da sua vida, que eu vou realizar."
Eis que a resposta é a mesma: "Uma camisa do Flamengo"

Esse menino é só mais dentre milhares de Brasileiros que não tem NADA na vida, a não ser o Flamengo.

E este torcedor, esse mesmo, que escreveu nossa história, que faz nosso DNA, que não tem 100 opções de entretenimento pra escolher, é este torcedor que hoje já tem por volta de 16 anos e que logo terá 20, que está sendo "impedido" de ver seu único amor, e talvez uma das poucas coisas que ele tem de sólido na vida, o Flamengo.

Não sou socialista, muito pelo contrário, sou capitalista e MUITO. Eu não quero "socialismos" com ingressos, acho o dinheiro do Flamengo SAGRADO, mas... O pobre de hoje é o universitário de amanhã, é o rico de aqui um tempo, é o cara que hoje não tem nada, mas amanhã pode ter, o Flamengo precisa tratar sua torcida nas classe D e E como um "investimento" futuro. E como um combustível nos cantos da Ilha do Urubu, porque esse torcedor não vai lá pra tirar selfie, não vai lá pra ficar no Twitter, vai lá só pra ver o amor dele, e nada mais.

Pra quem já arrecada tanto com PPV, TV, Patrocínios, ST.
Não custa NADA criar um setor popular de verdade, com acesso a todos, com venda na bilheteria, sem internet, na fila, do jeito que a gente gosta de comprar, esperando 10 horas no sol, falando mal do Marcio Araújo.
Raíz, povo, FLAMENGO.

Pra quem não tem dinheiro pra nada, o Flamengo não pode estar na mesma distância que o Barcelona está desse menino. 
A tela da TV

Mauricio Alberto de Assis
Sócio do Flamengo e empresário capitalista.

Like what you read? Give Flamengo Em Dia 81 a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.