SO WHAT?

SEGUNDA-FEIRA, 4 DE OUTUBRO DE 2010

Último texto do meu primeiro blog que eu perdi a senha. 98 textos de pura loucura e alucinação.

Escrever… Pois é, faz muito tempo que eu não paro para escrever sobre mim. Sabe como é, depois que seus pais encontram seu blog ultra secreto e dão uma puta lida em tudo você fica com um pouco de receio de voltar a escrever. Não sei quanto a você… Mas eu fiquei, com muito… Fui ao banheiro dar uma cagada básica, olhei para o lado e vi um produto que eu levei para a clínica, escrito meu nome. FLÁVIA. Oh. Sei lá, eu estremeci. Foi até que chocante ver aquilo ali. Bem mais chocante do que abrir minha caixinha de lembranças. BEM mais. Muito mais mesmo. Sei lá, chegou a ser traumático. Eu queria poder voltar a escrever, estava pensando em fazer um Tumblr, não sei se é assim que escreve, talvez seja Tumbirlo, quem se importa? Seria legal. O problema é que eu nem sei mexer naquele negócio. Bastante coisa aconteceu na minha vida desde meus últimos posts no meu antigo blog. Mas eu tenho tanto medo de escrever lá. Não é um medo comum, é um medo muito anormal. Até aqui eu to com medo de escrever. Vai que meu pai colocou hackers em todos os computadores em que eu tenho acesso e eu nem sei. É meio complicado. E se ele fez isso… Só posso rir. E eu realmente espero não ser internada de novo só por palavras. Comecei a escrever um livro novo, está com quinze páginas. Eu achei ele muito legal. Mas o andamento dele está meio… Sei lá, praticamente parando. E se a minha nova ex melhor amiga publicar o livro que ela decidiu escrever (a outra publicou um) eu ficaria muito puta MESMO. É meio triste isso. Eu queria esclarecer algumas coisas não muito claras que eu falei no blog. Muitas das pessoas que eu dizia amar, eu não amava realmente. Tipo, eu gostava, mas não eram coisas absurdas. Só que eu sabia que aquelas pessoas iam ler meu blog e eu queria que elas acreditassem que eu amava elas. E sei lá, aquele blog tinha que ser a coisa mais sincera vinda de mim. E acabou não sendo totalmente. Essas paradas de amor… Não adianta… Não consigo me entender. Eu não consigo AMAR as pessoas, e sim me encantar por elas. Mas eu acho que consigo me desligar delas muito facilmente. E mais, eu tenho medo de me apaixonar. Sim, eu realmente tenho medo de me apaixonar. Eu não gosto de me entregar totalmente a uma pessoa. Eu acho que eu posso virar um monstrinho quando isso acontece. Imagine que lindo, eu vou com a bunda e o bicho com o pé, então eu enlouqueço e começo a fazer ameaças, começo a me cortar e o caralho a quatro. Porque você sabe… Tudo começou por causa de amores… Nem tão fortes, mas eram amores. Pessoas que eu gostava. Podia não ser enlouquecidamente apaixonada por elas, mas eu as queria do meu lado para não ficar sozinha. É muito estranho, cara. Eu acho que eu sou louca mesmo. Acho que nunca vou encontrar alguém que me aguente. Acho que eu devo agradecer pelos amigos que eu fiz, pelos amigos que não me conhecem a fundo, que não sabem o que eu realmente sou, o que eu posso causar, e que continuam ao meu lado mesmo assim. Como aquela porca daquela Giovanna falou, eu sou uma pessoa nojenta por dentro, isso não vai mudar, nunca mesmo. 
 Abandonei a coisa que eu mais amo na minha vida. A Dandy. E isso não foi nem um pouco certo. Eu me sinto completamente culpada, eu preciso muito voltar a montar. É uma coisa que me faz bem, que me completa. Eu amo aquele bicho mais do que tudo. Tenho que parar de ter preguiça de ver meu bebê, eu preciso voltar a montar. Pelo amor de Deus, Flávia. Faça isso, é a única coisa que você sabe fazer direito. VOLTE. Você precisa disso. 
 Flávia minha querida, se dedique ao seu novo livro, e termine o seu velho. Mate a filha da puta da Laís já que você não suporta mais ela. A história do internamento na Rússia é a melhor já criada no mundo. 
 Dê valor as pessoas que estão ao seu lado, você sabe que elas podem ir embora em dois toques que nem as outras fizeram. Você sabe que você não vai suportar mais abandonos. Você sabe que você NÃO CONSEGUE LIDAR COM ISSO. É uma coisa que não dá pra controlar, está fora do seu controle, sempre vai estar.
 Família… Mãe, eu te amo muito. Você pode ter todos os seus defeitos, mas eu te amo com todas as minhas forças, e eu realmente não seria nada sem você. Eu sei que a gente pode ter tido todos esses conflitos, conflitos sempre vão existir. Não adianta. Mas você me carregou por nove meses, cuidou de mim por 17 anos e sei lá por mais quantos você ainda vai cuidar. Eu te amo, e sim, você é a mãe mais linda do mundo. Pai… Tem muita merda acontecendo por esse lado aí… Mas obrigada por comprar meus remédios, pagar minha escola, meu psiquiátra e as baias dos cavalos. Vó, obrigada por ter mexido em meus cabelos a tarde inteira e feito massagem em mim. E eu sei que é mentira e que você nunca fez curso de massagista. Mas tudo bem, eu gosto de massagem e que as pessoas mexam no meu cabelo. Irmã, eu gostei de você morena, só não entra no meu quarto de noite, pelo amor de Deus. Irmãos pequenos, estou perdendo toda a infância de vocês, mas eu amo vocês, e quando vocês cresceram eu prometo ser a melhor irmã do mundo, vocês vão ver como vai ser divertido me ter, porque aguentar a mãe de vocês não é fácil. Vó, eu te amo. Padrasto, é o melhor que eu poderia ter, jamais pensei que encontraria um assim, sério. Obrigada por existir e por cuidar da minha mãe tão bem, por cuidar de mim e da minha irmã tão bem.
 Sophie e Kika, descancem em paz, vocês merecem, eu amo vocês. Dandy, eu vou voltar, minha psicótica preferida. Sam, pode ter acabado de se juntar a família, mas eu te amo, e caralho, É IMPOSSÍVEL DORMIR SEM VOCÊ, mesmo eu ODIANDO MORTALMENTE seus miados as nove horas da manhã aos sábados e domingos. Tudo bem, eu entendo que você tem fome. Filó e Bellinha, PORRA, não vivo sem vocês, são minhas delicinhas, minhas cheirosinhas, minhas tudo. Eu amo vocês demais mesmo, meu jesus amado. Tia… Não tenho nem palavras para descrever, sério. Não sei o que seria de mim sem você. Como diz meu avô ‘’Você é uma menina de sorte, você tem uma vó, uma mãe e uma tia que fazem de tudo por você.’’
 Cansei de falar da família. O resto… Alguns primos merecem ser comentados, outros não. Meus padrinhos… Mais ou menos, acho que dei uma mancada do capeta com vocês. Desculpa, não sei se isso adiantaria, mas… Desculpa mesmo.
 FODA-SE. ISSO VAI PRO BLOG. FODA-SE VOCÊ CARLOS, HACKER CHUPA ROLA.
 Tava com saudade de mim, leitor inexistente? Porra, eu estava chorando lágrimas de sangue de saudade de você. Sério. Te amo.

Originally published at redqueencastle.blogspot.com.br.
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.