A falácia desse ideal de trabalhar com o que se ama.
Julia Maciel
397

Muito bom. Ótimo texto.

Já passei pela crise dos 30, tenho 47 e não devo ter crise dos 50.

Passei pela crise dos 30 num fim de relacionamento (meu primeiro casamento) quando ainda estava terminado a terceira tentativa de faculdade (abandonei duas outras), que terminei aos 35 anos.

Trabalhei para pagar as contas, aprendi que gostava de fazer o que trabalhava, me formei nessa área ainda gostando do que faço. Posso afirmar que não é sempre bom, mas é bom o suficiente e paga as contas.

Viajo quando dá, sou apaixonado pela minha companheira atual e vamos remando trabalhando, estudando, se divertindo, chorando e vivendo sendo feliz e aproveitando.

Like what you read? Give Flavio RB a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.