Amazon investirá 13,7 bilhões de dólares em aquisição da rede de supermercados Whole Foods

Amazon anuncia comprar franquia de supermercados de produtos naturais Whole Foods, empresa que tem como slogan ‘O supermercado mais saudável dos Estados Unidos’ no segundo semestre deste ano. A Synapps discute sobre as oportunidades que surgirão e as implicações da aquisição que seria de longe a maior da história da empresa no valor de 13,7 bilhões de dólares

Amazon e a Whole Foods esperam concluir acordo no segundo semestre deste ano e no mesmo dia em que a informação foi divigulda pela Amazon.com, as duas marcas viram um aumento em ações, 27% nas ações da Whole Foods e de 2.9% para Amazon. Especialistas no assunto dizem que a estratégia da Amazon é uma ação agressiva à longo termo da indústria de lojas físicas e online em tentativa de controlar o que o futuro de vendas online/off-line pode se tornar. Antes do fechamento da semana, na sexta-feira as ações de algumas redes de supermercados decaíram. Foi o caso da grande Wal-mart com queda de 7.1% e da rede de supermercados Kroger Co. com queda de 17% em suas ações.

Sob um olhar superficial pode parecer inusitado a gigante de vendas online Amazon se interessar pelo mercado físico de comidas e produtos naturais em que Whole Foods está inserido. Porém esta aquisição poderá mudar o cenário de como é feito compras e ranchos e gerar diversas oportunidades de negócio em um dos poucos setores do mercado que ainda não implementou totalmente à praticidade e comodidade do e-commerce.

É evidente o interesse da Amazon de expandir seu negócio online para formas físicas visando um aumento de mercado. Recentemente a Amazon abriu livrarias físicas para complementar seu e-commerce de venda de livros que acontecia até então somente nas plataformas digitais. Supermercados ainda são extremamente necessários que existam fisicamente, pois ainda não há sido instalada uma cultura de compra online para produtos alimentícios, porém há de chegar o dia em que este setor também será atraído à facilidade das vendas onlines, e a Amazon poderá dar um grande aceleramento em direção de tal futuro e se estabelecer entre as maiores empresas do ramo.

“Com a vida cada vez mais corrida e pessoas cada vez mais buscando tempo livre, há uma grande chance de ir fisicamente as compras e enfrentar filas grandes estar com os dias contados. A possibilidade de comprar tudo o que precisa para sua casa com a certeza de ter produtos da melhor qualidade e na quantidade necessária, desde frutas e verduras até produtos de limpeza pelo menor preço e com apenas um clique e sem sair do conforto do seu lar parece tentador” diz Flávio, co-founder da Synapps.

O que o time Synapps acredita que acontecerá:

- A Amazon possuirá grandes chances de mudar drasticamente o cenário de como indivíduos tem seu fornecimento de alimentos e produtos, e passará assim a contar com uma rede de lojas onde poderá implementar sua expertise de décadas de experimentos sobre vendas online e de como pessoas escolhem por produtos, pagam, e os tem entregue.

- Com o conhecimento do setor, a Amazon poderá direcionar os produtos certos para um consumidor especifico. Também poderá planejar e agendar compras para cada dia da semana ou mês, ou receber periodicamente os produtos que mais gosta. Por exemplo: toda quarta-feira você recebera as compras necessárias para a semana seguinte baseado nos produtos que escolheu ou então produtos que estão na época ou então produtos em promoção.

- Instacart, a startup terceirizada que faz as entregas para Whole Foods seria substituída pelos métodos que a Amazon já utiliza e também faria o mesmo para outras terceirizações para delivery na marca Whole Foods. Whole Foods representa 10% na renda da Instacart. Não faria sentido manter a parceria com Instacart e outras empresas de delivery como a Shipt, que opera no Alabama e deixa-los tirar uma margem de lucro tendo a Amazon expertise de entregas em diversos países.

- A Amazon se faz assim uma grande concorrente no mercado online de produtos domésticos e alimentícios onde WalMart, que recentemente comprou o site de e-commerce Jet que compete com Amazon.com se faz presente e cresce muito. Amazon assim dá uma resposta e evita que WalMart posse vir a tomar conta do setor de vendas onlines.

“Nos últimos anos vimos muita inovação no ramo dos serviços que contam com a tecnologia como catalizadora do processo, vide uber, ifood, netflix… Nessa mais nova aquisição da Amazon acredito que não será diferente. A empresa vai se valer do novo paradigma de consumo das novas gerações para estender seu domínio as compras diárias de supermercado possibilitando rapidez e mais qualidade de vida pro cliente” diz Flávio, co-founder da Syanapps.