Kennedy Space Center: Uma Visão da Exploração Espacial

Originalmente publicado no Zenit 2/M

No final do ano passado fiz uma viagem de família para Miami e Orlando. O roteiro turístico usual dos brasileiros. Meu pai fez uma única ressalva quanto a esta viagem, teríamos que visitar o Kennedy Space Center. Não me opus. Para falar a verdade, foi um dos passeios que mais gostei.

Kennedy Space Center fica em Cape Canaveral na Florida, aproximadamente duas hora de Orlando. E é de onde a NASA e algumas empresas privadas costuma lançar missões e satélites. Obviamente que tudo que se pode visitar é Visitor Complex, embora haja um passeio de ônibus que passa pelos locais de lançamento. Vou falar um pouco sobre o que vi por lá e mostrar algumas fotos (das que sobreviveram a um cartão SD danificado =/ )

O complexo de visitantes possui duas salas cinemas IMAX em que são exibidos alguns filmes sobre a NASA em si e sobre exploração espacial de modo geral. Assistimos apenas um dos filmes, sobre a história do Telescópio Hubble — aquele mesmo que está disponível do Netflix, e se você já viu o documentário no Netflix, imagine todas aquelas galáxias vistas em 3D na tela gigante do IMAX. Eu adorei. O resto da família nem tanto.

Depois disso resolvemos dar uma olhada na exposição sobre as missões Atlantis. Para aqueles desinformados, as missões Atlantis são aquelas dos ônibus espaciais — que saíram de circulação em 2011. O início da exposição é um filme sobre as origens dos ônibus espaciais, concepção e construção — nessa parte todo mundo queria me mata por ter que

Foto souvenir tirada na exposição sobre a exploração de Marte

assistir mais filmes… Depois disso entramos na exposição em si. Bem no meio do salão fica um dos ônibus espaciais, aberto para que o público possa ver por dentro. Sim, é de verdade, e é lindo. Em um canto existe uma espécie de réplica da Estação Espacial Internacional transformada em um brinquedo para crianças — há vários brinquedos infantis lá, achei muito legal. Há um andar abaixo, bem maior do que o aquele pelo qual entramos. Lá existem alguns jogos infantis e alguns simuladores (acoplagem, vôo, aterrissagem e etc), além de algumas réplicas dos banheiros, camas e sala de jantar dos astronautas e um memorial aos astronautas mortos nas missões Challenger e Columbia. Bastante triste.

Por fim chegamos naquilo que todos queriam: o simulador de decolagem. É como um brinquedo dos parques da Disney — na verdade há uma versão um pouco mais hardcore e e menos realista deste simulador no Disney Hollywood Studios — você entra no parece ser uma cabine que se movimenta para simular a decolagem. Não é nada muito assustador, mas algumas pessoas mais sensíveis podem não gostar.

Capsula da Apollo XII que retornou a Terra

Com os ânimos um pouco melhores, pegamos um ônibus que nos levaria até os locais de lançamento. Eu confesso que cochilei no ônibus =/ Mas consegui ver as plataformas das quais foram lançadas as Missões Apollo e Atlantis. Havia uma plataforma preparada para um lançamento na noite do dia seguinte — não vimos o lançamento porque não sabíamos dele. E, o mais legal de tudo, o prédio em que os ônibus espaciais foram feitos e onde agora estão desenvolvendo o projeto Orion — aquele que vai substituir o Antlantis. A plataforma de lançamento dos foguetes Orion estava em processo de montagem do lado de fora, para ser movida até o local de lançamento quando preciso.

Por fim o ônibus parou na exibição das missões Apollo. Um salão gigante com um foguete Saturn V mostrando cada um dos estágios de decolagem das missões. Além disso ainda há quadros informativos de todas as 13 missões, trajes históricos (todos utilizados durante as missões), pedras lunares e… o módulo da Apollo 12 que retornou à Terra! Havia ainda mais um filme sobre as missões Apollo, mas como estava tarde e ainda havia a exposição sobre a exploração de Marte, pegamos o ônibus novamente para o complexo principal.

A exposição sobre Marte foi um tanto quanto decepcionante, para falar a verdade. Havia alguns itens interativos com projeções de como seriam as missões tripulad

Foguete Sturn V e o hall da exposição das missões Apollo

as. Particularmente gostei mais da exposição das réplicas de todas as sondas enviadas a Marte — inclusive a Pathfinder e Sojouner, mostradas em Perdido em Marte.

Finalizamos a visita no gift shop, é claro. Os preços são bem inferiores aos dos parques da Disney e Universal, mesmo que o Disney Hollywood Studios venda produtos licenciados da NASA — em alguns casos o mesmo produto, mas mais caro. Bom, eu trouxe apenas uma camiseta e uma pelúcia de uma macaco em
trajes especiais, embora tenha me arrependido de não ter comprado uma miniatura de ônibus espacial — que eu comprei depois na Disney mais caro.

Um passeio que vale muito a pena! Ainda há mais atrações as quais não fomos, como café da manhã com um astronauta (pago a parte) e hall da fama dos astronautas e algo que eu não mencionei, o Rocket Garden, que é a área central do complexo, onde há várias réplicas e modelos de foguetes e capsulas. Foi um dos lugares que mais gostei nesta viagem. Se tiver a oportunidade, vá. Não vai se arrepender.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.