Súplica-prece

Petrifica meus pulsos,
Crucifica minhas mágoas,
Me arrasta pelo vagão até cair nos trilhos — riscados de giz.

Pinta meu nome no vento,
No mais alto dos subsolos.
Sorri as lágrimas que já não posso gargalhar mais.

Carrega o peso da minha pena,
Grita meus sussurros pras aves,
Pra que elas migrem comigo por um hoje eterno.