Entramos em um momento complicado da nossa política. Estamos preocupados. Estamos receosos. Queremos lutar. Queremos gritar. Queremos chorar. Tudo indica que o Rio de Janeiro manterá a mesma política de sempre e acrescentará elementos temerosos a ela. Todos nós bradamos sobre as necessidades sociais. Sobre todo tipo de igualdade. Teremos uma luta forte contra tudo o que o novo prefeito representa. Agora é hora de revindicar, correr atrás. Acreditamos que não tenhamos diálogo com esse novo representante. E aí? O que podemos fazer com isso?

Nós temos a nós mesmos. Nós podemos rever tudo o que pedimos e colocar em pauta para nós. Podemos dialogar com nós mesmos.

“O governo é machista”. Beleza. Vamos, nós, deixar a sociedade menos misógina!

“O governo é racista”. Beleza. Vamos, nós, diminuir essa segregação!

“O governo é homofóbico”. Beleza. Vamos, nós, acabar com esse preconceito!

“O governo é intolerante”. Beleza. Vamos, nós, dialogar mais.

Quais são nossas ações? É hora de tomarmos as rédeas dessas violências que a sociedade sofre. Todos nós sabemos que nossas ações têm suas consequências.

Vamos nos unir de verdade? Vamos olhar para todos como unidade?

Vamos deixar de compartilhar foto de mulher no whatsapp?

Vamos deixar de comprar droga no morro?

Vamos deixar de olhar torto para dois caras se beijando?

Vamos deixar de atacar quem não pensa como a gente?

Estamos frustados. Estamos em cacos. Contudo, ainda ESTAMOS. Somos nós.

Vamos nos desconstruir e fazermos nós o que queremos que nosso governante faça?

Vamos ser UNIDADE?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.