La marche gauche

De balanço indecifrável e copioso

Pela primeira vez te vi passando

Alto como um poste

Notado a cada solavanco

.

Com vontade de ser menor

De não aparecer

Mas sendo enorme

Lá está você

.

De pernas longas

E postura elegante

Com fibras mais que elásticas

Repuxando a todo instante

.

Negro, te vi antes sentado

Imóvel, fixo no pavimento

Vi seu bolero parado

Não suspeitava tanto movimento