Retrospectiva de desgosto….ops, agosto

Faz um tempo que eu descobri este aplicativo.

1SE.

One second vídeo.

Todo dia você faz um vídeo de um segundo ou tira uma foto. No fim do mês temos um curta de mais ou menos 30 segundos, uma pequena retrospectiva com os melhores momentos de cada mês.

Claro que é difícil ter sempre bons dias ao longo dos meses. Dias ruins fazem parte do processo.

São muitos segundos por dia. Dá pra encontrar algum que salve.

Gostei da possibilidade de buscar alguns deles e com isso ter um bom registro até mesmo em um dia chato.

Curti a ideia e comprei o aplicativo.

Sim, a empolgação me fez gastar alguns dólares. Nem me preocupei com crise, economia ou cotação.

Quem converte não se diverte nos aplicativos.

Nem tudo foi diversão.

Parece fácil, mas é difícil. Demorou, porém consegui aprender.

É preciso disciplina. Lembrar que todo dia algum registro precisa ser feito.

Tentei em junho e julho e não consegui armazenar um segundo por dia todo dia. Em junho foram quinze e em julho eu nem tentei. Um pouco por causa de alguns dias sem graça em junho e também devido ao esquecimento. Julho foi bem melhor. O difícil era lembrar de pegar o celular e fazer um vídeo de 1 segundo daquele momento legal que estava vivenciando. Curtia o momento e só lembrava depois do aplicativo.

E eis que surge agosto. Logo agosto. Para muitos o mês do desgosto.

Não pra mim.

Meu aniversário!

Para contrariar tal fama e o lance do inferno astral, resolvi tentar de novo.

E eu consegui!

Não foi exatamente do jeito que queria, mas cheguei ao fim do mês com 31 registros. Fotos e vídeos. Teve dia que foi complicado escolher um só. E em alguns dias foi difícil encontrar um segundo pra salvar.

Alguns momentos deixei escapar:

O dia em que provei um risoto de cogumelos.

O risole de milho.

A pizza da Vezpa.

As rabanadas.

O cachorro-quente com os amigos.

A galera do trabalho naquele dia insuportável.

A gargalhada que sempre me fazia sorrir.

O bolo de cenoura.

Aquele almoço de quarta-feira.

O vídeo tá ai. Uma retrospectiva de um agosto que começou bem e desandou no final.

Tanto é que a câmera do celular ficou ruim justamente no fim. Como se não quisesse registrar mais nada deste agosto.

Que desgosto!

A ideia para a cena final era um take dentro do cinema, lugar que não frequentei tanto em agosto. E então… a câmera pifou.

O final acabou sendo outro.

Uma foto de um livro, tirada minutos antes. Vi lá na livraria do cinema. Achei a capa bonita. Nunca tinha visto antes. Fiz o registro pra me lembrar de procurá-lo na travessa depois.

Não era a forma como queria encerrar. Depois de um 31 de agosto tão triste, acabou sendo apropriado.

“Depois do fim”

Revendo o vídeo antes de postar vou me lembrando de cada segundo e até um pouco mais de cada dia. Das coisas que faltaram, das boas e até das ruins que não entraram.

Começou o mês tão bem pra desandar no fim. Não sei muito bem como funciona lá a parada do inferno astral. Dizem que é antes. Parece que veio depois.

Achei que hoje seria 32 de agosto.

Finalmente terminou.

Tchau, agosto. Tem um ano pra se redimir.

Vamos ver como vai ser setembro com essa câmera ruim.

Por mais que as coisas não estejam indo bem sempre dá pra achar uns segundinhos maneiros.

Ps: o lado da selfie tá funcionando. Devo aparecer bastante mês que vem.

Espero conseguir.

Like what you read? Give Diogo Cavalcanti a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.