Caridade é muito mais do que moedas

É amor infinito, é um sorriso, um abraço, um ombro amigo

É meu amigo, gestos automáticos, como doar aquela moedinha esquecida no carro ou estender uma nota de R$ 2 a quem lhe pede na rua, são atos nobres, fazem parte da caridade, mas ela pode ser muito mais que isso.

Quando você passa por alguém, lhe dá bom dia e esse alguém não lhe responde. Pense, você acaba de levar um pouco de amor a alguém que pode estar tendo apenas um dia ruim.

Aquele pedinte que consegue contar um pouco de sua história nos breves instantes em que o semáforo se manteve fechado, também é um sinal de amor, de caridade. Afinal, há quanto tempo será que ele não tem um ouvido amigo para conversar?

Aquela jovem, que talvez por ironia do destino escolheu um caminho errado. E quem nunca fez más escolhas, não é mesmo? Talvez naquele dia, ela precise mais de um sorriso do que uma moeda. Pode ser um dia especial, como seu aniversário, esquecido atrás dos barrancos da vida.

Bens materiais são importantes. Uma roupa para vestir, um prato de comida, itens de higiene, dinheiro para resgatar a dignidade de se escolher o que se quer comer, enfim, são ações que auxiliam e muito quem precisa. E não, você não deve parar de fazer isso.


Repense sua forma de fazer caridade. Pessoas precisam de carinho e atenção. Às vezes, um breve papo, um sorriso ou uma cordialidade podem impactar muito mais do que qualquer outra ação.

E quer saber? Quando fazemos isso, nos tornamos pessoas melhores. E quanto mais o mundo tiver pessoas que se importam com os seus semelhantes, nosso cantinho ficará mais aconchegante e feliz.

Espalhe amor. Deixe ele transbordar em você!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.