fragilidade da vida

Nós, seres humanos, temos o péssimo hábito de subjugar as coisas ao nosso redor, numa tentativa de afirmação da nossa existência e poder sobre as coisas, criando uma desarmonia com o mundo.

A natureza é aonde percebe-se mais facilmente essa prepotência humana. Mudanças no clima; animais, tanto domésticos quanto silvestres, sendo tratados indignamente — sim, pois, “animais não são gente”, mas são vida. Há de se ter respeito para/com a vida num todo —; derrubada de áreas florestais em prol de razões econômicas; há diversos fatos que comprovam a arrogância humana com a vida na qual interagimos na Terra.

É notório a falta de capacidade em enxergar a fragilidade da vida por parte da humanidade. Nós não somos os reis e o resto do universo, servos. Nós fazemos parte do universo, somos vida, assim como qualquer cachorro e árvore.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.