Façamos a pouca vergonha pela qual o mundo nos condena.
Arranca-me da vergonha
Guilherme Aniceto
815

Este trecho soa como um slogan que denuncia a demagogia de “alguns muitos” desta sociedade que não deixa as “gentes se amarem” sem desfaçatez e medo…”

Belo texto!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Francinete Braga Santos’s story.