Talvez tu também tenha medo de ser mãe
Cinza
Ari
41

Oi, Ari! É eu tive medo sim, mas quando me tornei pela primeira vez já era, já estava grávida e fui sendo mãe por mais duas vezes. É engraçado, pois tenho muitas queixas do tempo de filha, mas fui cometendo alguns dos mesmos erros que a minha mãe cometeu e outros erros novos também que surgiram — afinal os tempos eram outros. Mas depois de um certo tempo passei a viver descolada do antes. Eu acertei e errei muito com os meus filhos e filha, mas até hoje não é fácil. Assim, te digo que o dia das mães é uma data comercial, e por isso, nem sempre trabalhada em conceitos “corretos” dando ênfase na perfeição de uma mulher (normal/comum) que pra ser mãe deve ser super. Eu peço aos filhos que parem de idealizar o corpo e a alma de uma mãe — esta que chora, é má, egoísta (às vezes) e cheia de imperfeições pelo simples fato de ser humana. Assim, Ari te aconselho a querer ser apenas mãe — gerando uma vida das entranhas com toda a capacidade que tenhas de amar, mas no dia que as forças faltarem serás só uma mulher que chora, tem medo num misto de coragem de lutar — a exemplo de qualquer outro ser que luta para sobreviver neste mundo nada fácil de viver, com ou sem mãe.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.