Meu sol

Guia-me na escuridão dessa noite sem estrelas

Sufoca-me com teu amor, tanto, tanto que eu imploro para morrer sem ar

Cancelo todas as minhas manias baratas para te dar

Sonhos, medos, ternura, poemas…

Semeia-me como uma flor silvestre que invade o campo ao nascer do sol

Sabe embaralhar meus dias como a concha de um caracol

Tuas entrelinhas são mais transparentes que os versos que canta poesia

Segura-me à noite e me carrega pela mão que o meu coração se aconchega ao teu quando nascer o dia.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.