PROPÓSITO DE VIDA

Propósito de vida não é um lugar ao qual se deva chegar, não é um posto a se alcançar, não é uma meta a ser desenvolvida, planejada, projetada.

É um lugar no aqui e agora, um posto em que se está “conectado via banda larga com o universo”, é uma meta para ser vivida hoje.

Propósito de Vida é Viver. Viver com ânimo todos os dias. De forma que a alegria seja a sua unidade de medida, ao mesmo tempo em que é o seu combustível para manter a marcha.

Fazendo isso, tentando, se esforçando (mas não muito), você se tornará uma fonte de inspiração para outras pessoas.

Dessa forma o reconhecimento e a prosperidade vêm.

O propósito de vida também não é algo estático e único. Ele caminha e muda, à medida que você dá seus passos. Ele é ajustável. Usando a alegria como unidade de medida você é capaz de fazer escolhas que te aproximam do “viver com ânimo”, que te aproximam do reconhecimento e da prosperidade.

E por que usar a alegria como unidade de medida? Pelo simples fato de que ou você está alegre ou não (não há meio termo aqui, não há considerações ou ressalvas). Muitas vezes, senão maioria, usamos o passado (histórico pessoal, familiar) para construir o propósito, outros usam o futuro para isso. Muitas vezes, senão sempre, usamos o amor ou medo para nos auxiliar e nos dar a base da qual precisamos para imaginarmos o nosso propósito.

Usar o passado, o futuro, amor ou o medo para nos ajudar a construir o nosso propósito está errado!? Não. Mas junto com eles meça a alegria. E se hoje não está bom, se você não está alegre, mude. Mudar é sempre possível. Lembre-se de que o propósito de vida não é estático. Algo que fez sentido durante muito tempo pode, hoje, não caber mais. E está tudo bem.

É fácil!? Não sei. Talvez nunca tenha pensado desta forma, já que pensava e via o propósito de vida como algo (quase que um objeto), como uma coisa definida em números, frases prontas, chamativas.

Parece-me bastante convincente e fácil de digerir a conclusão de que propósito de vida é viver com ânimo. Acredito que valha a pena tentar.

Afinal de contas, quem não gostaria de ser reconhecido, viver na prosperidade, servir de inspiração para as outras pessoas e ter alto nível de alegria diariamente?

Obs.: Se você respondeu “eu não gostaria” para esta última pergunta, meu amigo… tenho uma notícia para te dar: você não é deste mundo!

O problema não está na segunda-feira, e sim no que você escolheu para fazer às segundas-feiras.

  • Reflexões de Ricardo Mendes transcritas por mim em 18.06.15.