Computação em Nuvem

Edvaldo da Rosa
Jul 10, 2017 · 6 min read

Embora seja esse um termo bem conhecido, muitos não sabem o que é, ou do que se trata a computação em nuvem.

Uma vez resolvi questionar meus amigos se eles já ouviram falar em computação em nuvem. A grande maioria respondeu prontamente, “sim, já ouvi!”. Como complemento, perguntei se sabiam o que era, e que me explicassem o que era a computação em nuvem. Infelizmente a grande maioria não sabia o que era, ou deram uma explicação totalmente fora do que eu esperava.

Assim que surgiu uma oportunidade, fiz um trabalho acadêmico sobre este assunto. Abordando de forma muito superficial, tentei gerar um conhecimento básico sobre a computação em nuvem para aqueles que ainda não sabem.

Compartilho aqui o conteúdo do trabalho ;)

O que é

Segundo encontrado no wikipedia, o conceito de computação em nuvem refere-se à utilização da mémória, da capacidade de armazenamento e entrega sob demanda de poder computacional por meio de servidores compartilhados e interligados através da internet. Geralmente as infraestruturas de nuvem utilizam o conceito de computação em grade, que seria a divisão das tarefas entre diversas máquinas, seja em rede local ou rede de longa distância, e assim se consegue a capacidade de uma alta taxa de processamento. (WIKIPEDIA, 2017)

A computação em nuvem é muito mais que apenas um conjunto de servidores interligados. Para se criar um ambiente em nuvem, é necessário toda uma arquitetura de gerenciamento do fluxo de dados, garantia de segurança e de controle de desempenho do hardware.

Uma outra característica da computação em nuvem é que o acesso a programas, serviços e arquivos é remoto, através da internet. Dessa forma tudo contido nos servidores podem ser acessados a qualquer hora, de qualquer lugar do mundo, sem a necessidade de instalação de programas. Foi daí que surgiu o termo nuvem.

De uma maneira mais simplificada, “a computação em nuvem é o fornecimento de serviços de computação — servidores, armazenamento, bancos de dados, rede, software, análise e muito mais — pela Internet.” (MICROSOFT, [201-?])

Como funciona

A computação em nuvem oferece uma forma simples de acessar servidores, armazenamento, bancos de dados e um conjunto amplo de serviços de aplicação via Internet. O proprietário da plataforma de serviços em nuvem, é quem faz a manutenção do hardware conectado à rede, enquanto o usuário é quem provisiona e utiliza o que precisa por meio de uma aplicação web.

Modelos de computação em nuvem

Source: https://azure.microsoft.com/en-us/overview/what-is-saas

Os 3 modelos padrão de entrega de computação em nuvem definidos pelo NISC (National Institute of Standards and Technology) são:
IaaS — Infraestrutura como Serviço (Infrastructure as a Service): Os provedores fornecem infra-estrutura de computação. Ou seja, máquinas virtuais, armazenamento de dados, backups. Neste modelo, o contratante tem acesso a um computador e cabe a eles instalar o sistema operacional e todos os sofwares necessários para o funcionamento.
PaaS — Plataforma como Serviço (Platform as a Service): O provedor fornece uma infra-estrutura com o sistema operacional já funcionando com os serviços mínimos necessários. Desta forma o contratante não precisa saber detalhes de baixo nível e também pode agilizar o desenvolvimento de seus aplicativos.
SaaS — Software como Serviço (Software as a Service): São aplicativos prontos para uso, que podem ser gratuítos ou pagos. Você só precisa fazer o login e já pode usar. Geralmente será necessário uma inscrição prévia e opcionalmente a efetuação de algum pagamento. Um exemplo de Software que usa esse modelo é o Gmail.

Embora esses 3 modelos padrão sejam os mais difundidos, há aqueles que defendam a ideia de que existam outros modelos no mercado, como: DaaS, CaaS, EaaS, DBaaS, MbaaS, SEaaS e muitos outros.

Formas de implantação de computação em nuvem

Source: https://azure.microsoft.com/en-us/overview/what-is-cloud-computing/

Existem 3 formas principais para implantação de recursos de computação em nuvem:
Nuvem Pública: Uma aplicação baseada na nuvem é totalmente implantada na nuvem e todos os aspectos da aplicação são executados nela.
Nuvem Privada: Se refere a implantação de recursos no local de uma empresa. Não oferece todos os benefícios da computação em nuvem, mas é preferida pela capacidade de fornecer recursos dedicados.
Nuvem Híbridra: Uma implantação híbrida é uma maneira de conectar infraestrutura e aplicações entre recursos da Web e recursos atuais que não se encontram na nuvem.

Assim como nos modelos, os tipos de implantação também geram divergências, e vários outros tipos também são conhecidos, porém menos citados: comunitário, distribuído, Intercloud, multicloud.

Vantagens

Dentre as principais vantagens da computação em nuvem está a mobilidade e a flexibilidade trazidas aos usuários, uma vez que o acesso aos dados e as aplicações pode ser feitos de qualquer lugar, desde que se tenha acesso a uma conexão com a internet.

Outro ponto relevante apartir do ponto de vista das empresas, é a rapidez com que um software pode ser entregue ao usuário final, sem a necessidade de instalações ou preocupações com performance de hardware. Também a facilidade de atualização do sistema, uma vez que todo o ele está centralizado em um ambiente totalmente controlado pelo desenvolvedor.

A grande maioria dos provedores de serviço em nuvem cobram pelo uso dos recursos, dessa forma “possiblilita ao usuário pagar somente o que necessita, evitando desperdício de recursos, e também graças à esta escalabilidade é possível ampliar a disponibilidade de recursos conforme o usuário verifica necessidade do mesmo”. (PEDROSA; NOGUEIRA, 2011, p. 3)

Desvantagens

As maiores desvantagens da computação em nuvem são segurança, interoperabilidade, confiabilidade e disponibilidade.

Uma vez que todas as informações antes armazenadas localmente precisam agora trafegar na rede, é preciso criar mecanismo complexos que garantam a privacidade e a integridade das informações ao longo da comunicação.

Para garantir interoperabilidade e a confiabilidade das aplicações, é necessesário a implementação de padrões e interfaces complexas, afim de garantir que os dados permaneçam intactos mesmo em caso de falhas. Ou mesmo que seja possível a retomada da aplicação do ponto em que houve o problema.

A maior desvantagem que a computação em nuvem possui neste momento, talvez seja a disponibilidade, pois “por mais que o sistema esteja sempre on-line o usuário sempre necessita do funcionamento da internet que também é um serviço que não possui disponibilidade ao nível de uma rede local.” (PEDROSA; NOGUEIRA, 2011, p. 4)

Conclusão

Ainda que não percebamos a computação em nuvem está muito presente em nossas vidas. Quando usamos um serviço on-line para enviar e-mails, assistir filmes, ouvir música, armazenar imagens e outros arquivos, é provável que todos esses serviços estejam funcionando em um ambiente em nuvem.

Os primeiros serviços de computação em nuvem têm um pouco mais de uma década. Embora seja uma tecnologia relativamente nova, a computação em nuvem é considerada madura tecnologicamente. Isso se deve ao grande número de organizações que abraçaram e desenvolveram a tecnologia.

Por possuir modelos de entrega e formas de implantação versáteis e flexíveis, os benefícios obtidos com esta tecnologia tem sido expressivos, tanto para grandes empresas, que necessitam de ambientes complexos e dinâmicos, quanto para o usuário comum, que deseja principalmente mobilidade e integração das aplicações.

Por fim, pode-se afirmar que a computação em nuvem é um paradigma de estrutura de computação consolidado, maduro e com potencial para melhorias. Embora apresente desvantagens, muitas delas podem ser sanados, seja por uma implementação mais eficiente, seja pela adoção de mais de um provedor de serviços, afim de garantir a interoperabilidade e a disponibilidade do serviço.

Referências

CLOUD COMPUTING. In: WIKIPÉDIA. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Cloud_computing>. Acesso em: 29 jun. 2017.

COMPUTAÇÃO EM NUVEM. In: WIKIPÉDIA. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Computação_em_nuvem>. Acesso em: 29 jun. 2017.

COMPUTAÇÃO EM GRELHA. In: WIKIPÉDIA. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Computação_em_grelha>. Acesso em: 29 jun. 2017.

XORIANT BLOG. Cloud Computing — The Definition. Não paginado. Disponível em: < http://www.xoriant.com/blog/cloud-computing-for-isvs/cloud-computing-the-definition.html>. Acesso em: 29 jun. 2017.

MICROSOFT. What is Cloud Computing? Disponível em: <https://azure.microsoft.com/en-us/overview/what-is-cloud-computing>. Acesso em: 30 jun. 2017.

PEDROSA, Paulo; NOGUEIRA, Tiago. Computação em Nuvem. São Paulo, SP. 2011. Disponível em: <http://www.ic.unicamp.br/~ducatte/mo401/1s2011/T2/Artigos/G04-095352-120531-t2.pdf>. Acesso em: 01 jul. 2017.

Edvaldo da Rosa

Written by

Software Developer na Thomson Reuters

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade