Minhas raízes eu partilho com as velhas árvores de casa

Fred Di Giacomo
Jun 9, 2016 · 2 min read

Tenho saudades daquelas árvores velhas, das suas cascas, do cheiro de suas flores, E das suas folhas secando no chão.

Sinto saudades de trepar na pitangueira e naquela mangueira sábia De sentir suas rugas roçando no peito Da pequena jabuticabeira cabeluda E da acerola que ocupava, meditativa, o centro do quintal

O velho quintal era um universo místico Uma selva, um templo, um picadeiro Marcado por árvores que eu conhecia de cór. Como o limão cravo que se enroscava amoroso no pé de boldo.

Até dos pequenos morcegos eu sinto falta, quando devoravam as frutas Faziam barulhos e, às vezes, se perdiam, cegos, dentro de casa, Como as aleluias que se amavam, intensas, no verão As cigarras barulhentas E as formigas gigantes.

Depois foi só concreto, prédio Avenidas, carros Neve, E eu tão distante de mim que me perdia

Sem me conhecer.

E vocês com seus tribunais no olhar Achando que eu surgira ontem, por geração espontânea Em alguma rua de Pinheiros Em algum meeting de publicidade Em algum café com menu escrito a giz na parede negra que queria estar em Williamsburg.

Vocês não conhecem o cheiro da terra seca que a chuva molha Nem textura da fruta pão Nem o pé de mexerica que nunca vingou.

Vocês não cravaram o casco do pé no espinho da primavera fundo Nem viram a grama morrer de sede e perder lugar Pro mato oportunista

Não.

Vocês acham que me conhecem, Mas mal se interessam em perguntar de onde eu vim E já julgam o passado pelo futuro.

Não, meus amigos, em qualquer lugar do mundo,

Vocês

Não me conhecem, não, Nunca vão conhecer Tão longe das árvores Que me viram crescer.

Este poema faz parte do livro “Guia poético e prático para sobreviver ao século XXI” que a Editora Patuá lança dia 31/08/2016. Reserve o seu aqui! .

Caipira punk de Penápolis, no sertão paulista; o escritor e artista multimídia Fred Di Giacomo já foi chamado de “polymath” (algo como “renascentista”) pela Vice americana e “um escritor-leitor taradíssimo, rápido nos diálogos como um devasso de pornô-chat” pelo escritor e jornalista Xico Sá (que assina a orelha do seu primeiro livro). Fred é autor de “Canções para ninar adultos“, lançado em 2012 pela editora Patuá; criador do projeto Glück — uma investigação sobre a felicidade e um dos responsáveis por games como Science Kombat e Filosofighters. Seus textos já foram traduzidos para o inglês e o alemão.

Fred Di Giacomo

Written by

Escritor. Jornalista multimídia. Autor do romance “Desamparo”. Co-criei os jogos Filosofighters e Science Kombat pra Super. 7livros e 1 filho.