O Partido dos Trabalhadores quer o golpe
Priscila Silva
11

Priscila você está a um passo de compreender que a “democracia” é uma ficção que não perde em nada para filme hollywoodiano ou telenovela global, mas com uma grande diferença: nossa vida, ou melhor melhor dizendo, nossa escravidão faz parte do enredo!

Seja bem vinda à realidade! A partir de agora poderá entender o que realmente acontece no mundo e como sua vida é condicionada por alguns poucos donos do dinheiro e poder!

Os banqueiros governam o mundo e o Brasil em particular! Essa história começou com os usurários (agiotas e cambistas) que emprestavam dinheiro a juros nos guetos da capital do império romano. No início a Igreja Católica foi contra a cobrança de juros por sentir no bolso que o fiel escravizado pelo agiota ficava sem dinheiro até para pagar o dízimo. Mas a força do dinheiro foi mais forte e se espalhou por toda a Europa consolidando-se no século XIX resultando naquilo que podemos chamar de sistema Dinheiro-Guerra-Dívida.

Para entender esse sistema pesquise a história dos negócios da família Rothschild e compreenderá que há séculos os bancos controlam reis, ditadores e políticos através da emissão de dinheiro (esqueça a conversa fiada da Miriam Leitão que diz que governos emitem moeda em excesso e criam inflação: governos emitem papel-moeda que representa apenas 3% do dinheiro que circula diariamente na economia, enquanto banqueiros “emitem” 97% do dinheiro em circulação, eletrônico, apenas digitando valores nos estratos dos correntistas) e assim contratualizam dívidas impagáveis cobrando juros compostos sobre dinheiro que não existe.

Os juros compostos são uma aberração, pois trata-se de função exponencial cujo crescimento não corresponde às taxas de crescimento das atividades econômicas, que na melhor das hipóstases crescem à taxas lineares assim como os salários! É por isso que os financiamentos de imóveis requerem décadas pagando infindáveis prestações que terão resultado no pagamento de três imóveis, embora o proprietário tenha financiado apenas um imóvel, que no fim do financiamento poderá valer menos que o valor financiado como geralmente acontece nas aquisições que antecedem o estouro das bolhas especulativas que os banqueiros criam para estimular o endividamento das famílias.

Em 1913 o sistema Dinheiro-Guerra-Dívida atravessou o oceano Atlântico e incluiu os Estados Unidos no território da pilhagem bancária dando um golpe no povo e na constituição americana aprovando, na calada da noite das vésperas natalinas, a criação do banco “central” privado, que ganhou um nome “público” para não chamar atenção: FED — FEDERAL RESERVE BANK. Desde então, os Rothschilds e banqueiros associados também roubaram dos estadunidenses o “direito” de transformar papel em dinheiro, o que se estendeu ao mundo depois da segunda guerra mundial, sobretudo após 1971, quando os banqueiros, por meio do governo estadunidense, deram um golpe no mundo ao impedir que os governos dos diversos países pudessem trocar dólares, acumulados nas exportações para os Estados Unidos, por ouro!

Essa situação deu aos banqueiros americanos o “direito” de imprimir papel-moeda e controlar o mundo sem precisar de ocupação militar, o que passou a ser necessário apenas quando as elites locais não são subservientes como os políticos brasileiros! Mas quando o ditador ou políticos eleitos não respeitam as “regras” (negócios internacionais só em dólar) as Forças Armadas matam ou encarceram os “terroristas” no poder e assumem o controle como aconteceu no Iraque, Afeganistão, Líbia, Egito etc.

Quer entender como isso é evidente no Brasil?

O Lula, que deveria ser o oposto do Fernando Henrique Cardoso, também rendeu-se à Máfia do Dinheiro e colocou no comando do Banco Central do Brasil um banqueiro do Banco de Boston, Henrique Meirelles, que apesar do golpe no petismo, virou ministro da Fazenda no Governo Temer, o que já era defendido por Lula há muito tempo.

Quer saber onde está o Levy ex-ministro da fazenda do Bradesco? E o Tombini,ex-presidente do Banco Central? O Levy ganhou a diretoria financeira do Banco Mundial (BIRD) em Washington e o Tombini assumirá um cargo no FMI.

Compreendeu quem manda na sua vida? Percebeu que eleger Dilma ou Aécio, tirando cosméticos como bolsa família, é a mesma coisa? Apenas um número explica tudo: 28 bilhões por ano é investido no Bolsa Família para colocar um pouquinho de macarrão e carne moída na mesa de milhões de miseráveis (R$ 150,00 por mês por família), enquanto o bolsa banqueiro paga juros de 1.000 bilhões (1 trilhão) por ano a poucas centenas de famílias detentoras dos títulos da dívida pública!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.