O Erro Médico

Chesterton dizia que o médico, ao ter que cura um paciente, contentava-se com o “corpo humano normal”, portanto, pode até haver divergências na maneira com a qual o paciente será curado, no entanto, nunca que o paciente chegará em sua casa com três pernas. Nos piores casos, poderá chegar com uma somente — mas nunca três. A ciência médica se contenta com duas pernas, afinal. “A ciência social, ao contrário, não se contenta com a alma humana normal e tem à venda toda classe de almas ornamentais”. Ou seja, os nossos intelectuais — sociólogos — sempre tentam fazer com que o paciente — a sociedade — ceguem em sua casa com três pernas, infelizmente. Muitos se perguntam o porquê pelo qual os remédios que são indicados pelos médicos-sociais não surtem efeito: Chesterton já tinha a resposta.