Eu alcanço/ndo mundos quando ultrapasso a tua pele, farejo, língua, tecido viscoso; sangue com vida dentro da b* já sem dor e entras em mim e me impulsas e me pulsa e vasculha meus interiores e tua voz ecoa ecoa no fundo mais íntimo da minha carne,

da minha dor ou quase nenhuma ou até mesmo nenhuma aflição e rodeias teu seio na minha boca faminta para depois me beijar com tua sede de mim, só de.

sou tanto {tão} grande sozinha, mas muito mais em companhia. 
sou imensidão e nem preciso te procurar tão dentro -assim -, 
pois estás em todo lugar. mastigando teus sonhos e chiclete, o doce sabor que a vida têm quando se têm amor.
o gosto do gozo & fogo \\ alimentando teus mais profundos oceanos; afundo, mas não afogo. a fundo a fundo e a fundo e a fundo em ti e me encontro dentro da pulsação do teu coração, tua b* louca vibrante, a luz dos teus olhos abrindo janelas, eu {passarinho} cantando enquanto gemo e gozo em ti e dentro de ti.

digo que estou a salva, mas nunca me importei com nada além da minha própria solidão, agora tão companhia, como disseste¿
podes insinuar quaisquer gestos, declarar teu amor por mim no meio da chuva, da rua, nua
sem pressa no passo, rodeias teus dedos entre os meus, enfia na minha garganta, na minha ferida, na minha vagina, no mais profundo gozo e íntimo, enfia teus dedos nos fundos das minhas calcinhas, enfia enfia 
enfia faca flor verme poluição enfia velocidade intimidade enfia teus dedos no meu peito e te pintas com meu sangue de amor, de mulher, porra, de plena loucura; pernas estremecem, terremoto, terremoto!

mas, não paras, não paras e continuas em cima de mim enfiando teus dedos na minha boca na minha calma na minha salvação na minha perdição¿
enfia teus dedos nos fundos mais fundo \\ isso aí mesmo…

na gaveta no umbigo enfia teus dedos na minha flor que pra você nunca ouve espinhos é só pétalas

mas como é que pode nunca haver ferida ou ferimento¿
não não há 
é alma limpinha 
aiaiaiai continua vasculhando teus dedos percorrendo pele pele pele pele
e sangro inteira sem me machucar sentindo o cheiro do vivo em mim. não morto. e sangro inteira sendo nada mais que viva pulsante porque te alimentas;

porque o mesmo sangue que engoles do meio das minhas pernas, é o mesmo que pulsa o coração: que bate por ti. que sangra, mas sem dor. voar voar. nos teus braços é a melhor altura que eu poderia chegar. coração na boca e vermelho teu sabor. de sangue e amor.

{sinto teu coração. sinto tua felicidade e te sigo, você diz vem e eu já tô}

como disseste?

ah… sim…

arrepio

mulher da minha vida

gostosa

te escrevi poema sobre ser meu rumo

e concluo,

vamo planta fumô?

Like what you read? Give @ksllov a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.