10 trechos do Livro do Oráculo, nosso xodó


Parceiro da Fronteira desde 2011, o Senhor de Todas as Respostas não teme nenhuma pergunta dos leitores da Superinteressante. E, puxa vida, eles tentam pegar o Oráculo no contrapé todo mês. Já respondemos mais de 600 perguntas, e quase todas foram parar no Livro do Oráculo, a compilação das melhores dúvidas enviadas pelos leitores da Super desde 1987, quando a revista estreou nas bancas (a seção teve vários nomes nessas décadas). Visionária como sempre, a revista antecipou a moda da interação com a audiência — indispensável hoje.

Em 2014, tivemos o prazer de revirar todo o arquivo da Super em busca das dúvidas mais legais dos leitores, uma montanha de PDFs vasculhados ao longo de alguns meses. Atualizamos respostas, deletamos piadas datadas, editamos e reempacotamos o Oráculo, da revista e do blog, junto com os amigos da Super, principalmente o editor Felipe van Deursen. O resultado foi um calhamaço de 450 páginas, uma Bíblia da curiosidade humana, pela qual a gente tem uma devoção imensa.

Confira algumas das nossas respostas favoritas. E compre o livro!


1. Tenho uma dúvida que vem me intrigando há anos: por que o Príncipe Adam fica moreno quando transforma-se em He-Man, “o homem mais poderoso do Universo”?

Uma das teorias supõe que a mudança no tom de pele foi uma forma barata de reforçar a diferença entre o Príncipe Adam e o He-Man. Como a Filmation Associates tinha um orçamento apertado, deu um jeitinho: fez um só leiaute para todos os personagens masculinos do desenho, como Príncipe Adam, He-Man, Esqueleto e Mentor (já reparou como até o Esqueleto é fortão?).

Lembre-se que, antes da animação por computador, cada frame precisava ser desenhado a mão — e são 24 quadros por segundo. Ou seja, tarefa para gatos guerreiros (ui). “Isso facilitava muito na produção, já que só era preciso animar cada movimento uma única vez”, conta Guto Bozzetti, diretor de animação da produtora de desenhos Cartunaria. Os desenhistas pegavam esses modelos e colocavam capacetes, bigodes e tonalidade de pele que diferenciavam os personagens. Os mesmos produtores também fizeram uma série do Tarzan, em que utilizaram os mesmos moldes de animação. “Era comum ver o Tarzan correndo ou nadando igualzinho ao He-Man.”

“Era apenas uma forma de tornar os dois personagens visualmente diferentes”, diz um representante do site He-Man.org, mantido por fãs. “Não admira ser tão bronzeado andando por aí seminu, né?”, brinca Bozzetti.

No episódio de hoje, aprendemos que fazer desenho animado sem computador e sem grana é vida loca, amiguinhos! Valorize o velho e seja gentil! Não seja um tonto e até a próxima!


2. Tenho amigos que fumam maconha e sopram a fumaça no focinho de seus cães. Eles dizem que os cachorros adoram. O que diz a ciência?

A ciência diz que eles estão viajando. Não se sabe exatamente como as drogas agem no sistema nervoso dos animais. O que seus amigos usuários do cigarrinho de artista interpretam como “curtir” é alteração na pressão ocular, pele quente, tontura e eventual depressão.

A polícia diz que eles podem ser presos. Pelo risco que o animal corre, dar maconha para cachorro entra na categoria de maus-tratos — crime cuja pena pode dar cadeia.


3. Se tu escreves em um papel, ele fica mais pesado? Ou não?

Sim. É o que afirma Eduardo Ribeiro de Azevêdo, professor do Instituto de Física de São Carlos, da USP. “Você deposita tinta no papel. Obviamente, a massa do papel, que era só do papel, agora é do papel e da tinta”, explica. Porém a massa da tinta é muito pequena se comparada à da folha. É como uma tampinha de garrafa em uma piscina. Somente uma balança de precisão captaria a diferença. Ou seja, deixar de fazer anotações no caderno de aula porque isso o deixaria mais pesado de carregar é uma desculpa estapafúrdia.


4. Por que o conteúdo da cola Super Bonder não cola dentro do recipiente, se ela cola tudo?

Porque dentro do recipiente não há umidade, que é justamente o incentivo que o componente da Super Bonder precisa para sair “colando tudo”, como você diz. A base química do produto é o cianoacrilato, resina acrílica que seca instantaneamente. Esse componente entra em reação em contato com a umidade, o que faz com que a cola seque e endureça. Quando a Super Bonder está na embalagem, esse contato não existe. Com isso, as moléculas permanecem separadas, e a cola continua líquida. Por isso a fabricante aconselha não deixar a embalagem aberta muito tempo. O problema é quando você fecha e nunca mais consegue abrir de novo porque está tudo grudado — tal qual antigas revistas em mãos pubescentes.


5. Querido Oráculo, poderoso e majestoso, sane uma dúvida minha. Qual a probabilidade de um namoro a distância dar certo?

Exatamente 73%. É o que diz um levantamento do Centro de Estudos das Relações de Longa Distância, dos EUA. E se você considerar “dar certo” passar de seis meses em um relacionamento (27% terminam antes disso). A situação para casais que vivem juntos, ou pelo menos próximos, é: PIOR. De acordo com o instituto, 30% dos relacionamentos acabam nos primeiros seis meses. Ou seja, a chance do namoro a distância durar mais é ligeiramente maior.

Outro estudo (afinal estudo tem de monte) realizado por Mary Carole Pistole, da Purdue University, nos Estados Unidos, concluiu que casais separados pela distância têm uma comunicação mais aberta, falam mais sobre o relacionamento, têm menos discussões triviais e separam o horário de trabalho do de namoro. “Ou seja, têm mais daquele tempo gostosinho juntos, o que pode criar uma proximidade que não é encontrada em casais que se veem todos os dias”, explicou a pesquisadora, que é PhD em aconselhamento psicológico, veja só você.


6. Os abaixo-assinados da internet têm o mesmo efeito dos de papel e caneta?

Sim. Ambos servem, na prática, para mobilizar a população para algo, seja na criação de um projeto de lei seja para boicotar fotos de gatos na internet. Mas um abaixo-assinado, on-line ou off-line, não tira ninguém do poder. “Um impeachment depende de uma denúncia”, explica Ivens Rocha, cofundador do site de abaixo-assinados euConcordo.com.

Para virar projeto de lei, a lista precisa: 1) ser assinada por 1% do eleitorado nacional; 2) ter o endereço do cidadão (as assinaturas precisam partir de, pelo menos, cinco Estados); 3) ter telefone e data de nascimento do participante (menores de idade não podem assinar). E o mais importante, o site tem de ser tecnicamente confiável. Ele não pode permitir assinaturas repetidas, por exemplo, lembra Aires Rover, professor de Direito da Informática da Universidade Federal de Santa Catarina. Saiba onde pôr seu nome.


7. Vi o filme Um Conto Chinês e fiquei com uma dúvida: qual a chance de uma vaca cair na cabeça de alguém?

Quase nula. Afinal, uma combinação de fatores esquisitíssima deveria acontecer para que uma vaca caísse na cabeça de alguém. Para começar, o número de bovinos vivos transportados por via aérea no Brasil é muito pequeno. Segundo a Associação Brasileira dos Exportadores de Gado (Abeg), em 2010, apenas cem bovinos vivos cruzaram o céu brasileiro para exportação. Não há dados sobre quantos aviões foram usados para transportar essas cem cabeças de gado (cabem até 200 por aeronave) nem se houve um acidente com algum deles. Ou seja, naquele ano, no máximo cem aviões carregando boi levantaram voo no País.

“Pelotuda, pero de elite”.

Em 2010, dos 2.648.449 voos controlados pela Infraero, 91, ou 0,0034%, sofreram um acidente. Não se sabe se caiu algum animal ou objeto de dentro das aeronaves durante o voo. Para completar, você tem de ter o azar de estar na mira bovina.

Mas suponhamos que uma vaca desabe no seu colo. Eis uma boa notícia: você será atingido por um animal de elite. O transporte aéreo é utilizado apenas para o traslado de animais de genética superior. Não é qualquer boi que pega avião.


8. O tempo passa igual para quem viaja no tempo?

Tudo indica que, a partir de velocidades muito altas, o envelhecimento é retardado. Presente na Teoria da Relatividade, a “compressão temporal” é um assunto para lá de complexo, mas, segundo Jorge Ducati, professor do departamento de Física da UFRGS, não estamos ferindo o legado de Einstein ao propor um exemplo assim: se uma pessoa passar 20 anos viajando na velocidade da luz, estará mais “jovem” do que um amigo que ficou aqui na Terra girando em torno do Sol como todos nós, curtindo futebol aos domingos. Esse viajante terá vivido um tempo comprimido, de, sei lá, 12 anos (diante da dificuldade de fazer o cálculo preciso, o professor Ducati insiste que seja ressaltado: esse número é um chute).

Isso ocorre porque o metabolismo do corpo e tudo que está dentro da espaçonave estará inserido no contexto dos efeitos relativísticos previstos por Einstein em ambientes de velocidade extrema, como a compressão do tempo.


9. O peso da Terra é sempre o mesmo ou ele pode sofrer alterações conforme o crescimento de plantas e animais?

É o mesmo. “O crescimento de plantas e animais pode ser visto como uma transformação da matéria já existente. Um cavalo cresce ao comer capim”, exemplifica Eder Molina, do Instituto de Geofísica da USP. A massa do planeta sofre contínuas alterações, sim, mas são insignificantes. E os principais motivos para essa variação são a queda de meteoritos e o lançamento de satélites e foguetes.


10. O que aconteceu na linda história de Pinóquio tem fundamento? Realmente é possível um humano chegar vivo e consciente ao estômago de uma baleia?

Provavelmente, não. Para começar, as baleias não comem nada tão grande quanto um ser humano. A dieta delas é meio sem graça, na real. A veterinária Kátia Groch, do projeto Baleia Franca, explica que elas filtram o alimento da água e comem basicamente pequenos peixes ou krill, crustáceos miudíssimos que fazem parte do zooplâncton. Por isso, dificilmente uma baleia abriria a boca para engolir uma pessoa.

by tuckedaway.com

E se ela engolisse?

A vítima sofreria politraumatismos por esmagamento no momento em que o animal fechasse a boca. Mas nem o maior exemplar da maior das baleias — uma baleia-azul de 33 metros — conseguiria engolir uma pessoa inteira. Ela engasgaria, pois sua garganta é pequena.