Ode ao Ego

Todos os dias acordo com um sorriso nos lábios, especialmente que logo aumenta de tamanho assim que vejo a minha esposa e o meu filho. No entanto, assim que saio de casa a coisa muda de figura. Onde deveria ver compreensão e entreajuda, vejo egoísmo e vontade de enterrar o próximo. Confesso que nem todas as pessoas encaixam neste perfil, mas por virtude do que leio e oiço nos media, juntamente com tudo o que leio nas redes sociais, começo a chegar à conclusão que o egoísmo está em crescimento e a compreensão em decréscimo.

Karma

Sempre acreditei no Karma, ou como alguns lhe chamam, “justiça divina”, mas começo cada vez mais a pensar que são mitos, pelo menos “neste cantinho à beira mar plantado”. É esquisito ver tudo e todos a pisar e espezinhar o próximo e sinceramente está a tornar-me cada vez mais intolerante, pois começo a não acreditar em ninguém, senão em mim próprio.

Cancro, futebol e outros assuntos

Uma coisa que acho piada, é que o Cancro e os Doentes Oncológicos só existem duas vezes por ano: no Natal e do Dia Mundial Contra o Cancro. Tirando isso, não existem. Só existe o futebol, nomeadamente o clube de futebol preferencialmente de um dos três “grandes”. Temos de dar milhões à banca para a salvar, mesmo que fiquemos os próximos 60 anos a pagar essa ajuda, ao mesmo tempo que não podemos ajudar milhares de microempresas a avançar, pois “têm obrigação de ter fundos para suprir as suas necessidades”, mesmo que estas estejam em risco de falência, mas como cada um de nós na sua redoma de vidro não precisa, que se lixem todos.

Valores

Talvez seja por ter crescido numa das principais cidades do país e onde existe mais egoísmo por milímetro quadrado, que sinta toda esta revolta interior. Afinal de contas, ninguém com princípios fortíssimos de vida em sociedade pode existir, em nome do ego. Este ego aumenta quando alguém tem o automóvel melhor, funcionando para ambos os lados. Para o que vê de fora, o outro andou a roubar. Para o que comprou, ninguém é digno de poder admirar o que foi comprado. Chego à conclusão que ninguém trabalha. Aliás, para as pessoas que pensam desta forma, todos os desempregados, especialmente os de longa duração e pessoas mais velhas que ele, são a raiz de todos os problemas. Afinal de contas, para quem pensa desta forma, todos os idosos são dispensáveis e nem podem existir, excepto quando são os pais, de modo a criar os netos, pois estas pessoas não têm tempo para criar aqueles pirralhos que choram a toda hora e que para os calar basta comprar uma consola de jogos nova. Deus nos livre… não, Deus para eles não existe, pois o Ego é maior que Deus.

Conclusão

Por estas e por outras é que, figurativamente falando, até a fruta mais doce se torna amarga e ácida, sendo sempre culpa dos outros. Isto acontece diariamente com pessoas por todo o mundo. Não estará na altura de dizer que não ao Ego e sim à Compreensão?