poesia_53

Quint Buchholz

meus pés entrecortam o ar:

estou no entreposto lunar;

a linha pressionada em curvatura.


um frêmito, uma inquietação, me invade

a parte escura

e flameja a minha outra face

reconhecida pela lua.


não há inconsistência no meu gesto:

eu me movo para além do que entendo.

não me importa o hemisfério

nem a conjuntura do tempo.


(e tampouco a ruptura

do céu, amanhecendo.)


mas não pense que de ti estou alheia:

ainda conheço

aquilo que te permeia.


(o meu entendimento

percorre minha veia.)


o sentido não finda

e até se translucida

nessa hora trêmula

e decidida.