poesia_54

Que venhas em fuga
sob as anáguas da lua
cada vez mais clarividente.

Meu corpo pulsante
na noite bruxuleante
procura tua fronte:
branca e decidida.

E de mármore é o teu rosto,
estátua em vida.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gabriela de Oliveira’s story.