alvoreceres

Foram os dias que mais bela tornaste
tu que ainda jovem, o amor conheceste
Fizeste de canto em canto a poesia
guardaste mais que tua idade teria

Ação do eterno em teus passos
incontáveis graças outrora esquecidas
mas a ti coube render-te em gratidão
a ele, sobremaneira admiração

Continuas a escrever a história porque
não foste tu, mas os céus que se lhe abriram
Semeie, regue, plante, permita-se
pois és poema, canção, amor e sabes do Verbo

Canção, quem te fizeste linda?
Poema, quem lhe acentuou eternamente a métrica?

Ao alvorecer nova dádiva,
nova chance, novos tudos, pois
há palavras a serem postas
Ao autor da biografia esse pedido

Que saibas o que poucos sabem
que vejas o que não vêem
Sobretudo, que, no amor,
o alvorecer dura eternamente. Amém.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gabriel Lazarotti’s story.