Eu levo essas 10 lições que aprendi no Teatro no meu dia a dia

E eu aposto que elas vão te conquistar

Você espera que mesmo depois de oito anos na vivência teatral seu corpo e mente ainda sejam estimulados com a mesma força? Pois eu afirmo que é possível.

Ainda que eu me afaste esporadicamente do meu círculo social, e restaure minhas energias, retornarei ao Teatro ainda me surpreendendo. O que me leva aos meus motivos.

1 — Vulnerabilidade é uma qualidade

O que está no jogo é o valor que você dá aos seus pensamentos — não importa o conteúdo e sim se você sente paz estando sozinho com eles. Se sim, os libere, compartilhe. Se não, o que está acontecendo? A nossa comunidade adora erros pois vê neles oportunidades. Conte mesmo assim.

Geralmente temos medo de nos abrir. Ninguém gosta de ser magoado, certo? Mas nosso desempenho é como acunpultura, e estar sem escudos permite que as agulhas atinjam pontos precisando de atenção.

Nós vamos ser bobos e passar umas vergonhas. Ria de si mesmo. No palco, no ônibus, no escritório, durante o sexo.

2 — Você falhou? Que bom! Agora cresça, pequeno Skywalker.

A arte da performance requer sua paciência (como administrar o poder da força, Luke). Se você se considera disposto, ótimo. Mas se não a tem, sua mente irá fabricá-la sobre pressão. Das duas formas, ambas são a velha combinação de sangue, suor e lágrimas. Adoramos essa frase.

Agora vista a roupa preta e vá para aula. Leve ideias, jogue com as dos seus colegas. Caia de costas nos braços da turma. Confie.

3 — Pense rápido!

Há grupos de improviso que são como um banho de mar, refrescam o corpo febril. Provável que você conheça ao menos um. Não é só nesse jogo que você deve pensar em um estalo. Cada parte da vida pede eficiência.

A experiência inicial em um jogo de improviso pode ser maçante. A gente avalia a cena, para onde ela pode seguir, quando se deve entrar, etc. Pressão. Tudo bem, isso é bom. Com a graça do senhor tempo e com a prática você vai solucionar problemas.

Como as formigas, que abrem caminhos no fundo da terra com a maior perseverança.

4 — Boa comunicação contra dor de cabeça

Conversa frenética é sinal de que alguma informação vai ser perdida. Pelo bem do diretor, que não seja nada referente ao figurino.

Em uma reunião empresarial, a regra é ser coerente e direto. Do contrário se perde tempo. O mesmo vale para a aula ou o dia da estréia. A tendência, porém, é que os novatos ou principais estejam ansiosos, facilmente se esquecendo de pontos chaves e — caramba — até de suas falas.

O diretor se importa com o seu preparo, mas não é o dever dele alongar seus músculos ou repassar suas marcações de cena. Não o desaponte.

Se eles já são rápidos, vença a maratona.

Se seu tendão de Aquiles é a famigerada ansiedade, aconselho um psicólogo. Se não estiver em condições, converse com um amigo ou colega experiente. Eles já passaram por isso.

Sabe os globos de neve, que a gente chacoalha e o pó branco desce lentamente, bloqueando o cenário? O globo nublado é a nossa mente durante o estresse. Para ver o mundo mais claramente, permita que a neve se assente. Medite ou respire fundo, em algum canto dos bastidores.

Assim, ninguém vai surtar gritando:

CADÊ MEU CHAPÉU?

5 — Pontualidade é o fetiche do Teatro.

Chegar 20 minutos antes é chegar atrasado. Ponto. Agradecemos com olhares furtivos se você chegar com uma hora de antecedência, de preferência hidratado, alimentado, alongado e aquecido.

Mas mesmo que tente ser ligeiro, pode ocorrer desavenças no caminho. Então nos avise por mensagem.

Em dias de apresentação, ou filmagem, para os bastidores é essencial esse ponto, assim tudo ocorre dentro do programado (com verba curta não se brinca). Para o palco garantimos o improviso, mas é de caráter federal organização de tempo.

Excite-nos.

6 — Estratégia

O conceito de estratégia; Em grego: stratégia. Em latim: estrategia. Em francês: stratégie. Os senhores estão anotando?

Você não vai fugir de todos erros, então planejar vai te poupar tempo e fará esse ser produtivo.

Eu utilizo a metáfora do Lego para esse ponto. A atuação é como esse brinquedo. Você nunca sabe quais blocos sua mão vai pegar ou qual será entregue a você. Mas os que vierem, depende da turma construir uma cena atraente.

Esse ponto une o 1, 3 e o 4 mas é dominado com a constante pesquisa e leitura. De material adequado.

7 — Menos é mais

Tem algo a ser dito? Se sim, ele é um solilóquio ou mera observação repetitiva? Caso não, você vai colaborar com algo falando? Se vai, então peça atenção do grupo e diga.

No mais, fique calado e observe.

8 — Comprometimento

É integral o compromisso com o Teatro. Se alguém me disser o contrário suspeito que a pessoa nunca tenha trabalhado nele.

Como em todas as áreas que exigem seus músculos e cérebro, reserve tempo para os estudos e espalhe a palavra de Shakespeare.

9 — Você tem vidas nas suas mãos

Mesmo que em um monólogo, quem está apontando o refletor em sua direção e controlando o som? Trabalho em equipe é a chave para um bom empreendimento.

Como eu disse, é sua obrigação estar preparado na hora H, mas ter por perto amigos e pais nos deixa confiantes. Pois o que é familiar nesse instante nos acalma.

“Atuar é estar relaxado .” — Bill Murray

Uma produção é bem sucedida no cordão humano de diretores, técnicos, músicos, coreógrafos, entre outros.

Você não vai andar a esmo na vida estando sozinho, vai?

10 — Nós amamos na real e de repente

Porque não temos o luxo de perder tempo com evasivas.

A comunidade do Teatro não para de surpreender o mundo e tem idade para se aquietar, mas o que ela faz? É o ambiente que mais ama e que mais se abre e mais diversificado fica com o passar dos anos. O Teatro se alimenta da energia que dedicamos à ele.

Nós acreditamos que absolutamente ninguém deve ser discriminado. Pela aparência ou escolha da sexualidade, ou se você tem depressão ou não se encaixa em nenhum nicho, vai contra nossos princípios julgar você.

Não há nada que me deixe mais agradecida por fazer parte do Teatro que o fato de termos as pessoas mais acolhedoras e apaixonadas na família.

Amo essa comunidade com todo meu coração e me orgulho dela.

E para você desejo muita merda.

Você vai me entender.


Foto: Eu mesma, em uma apresentação do Projeto Palavra Viva de Teatro no auditório do IEMG, MG.