Letter of Intent | J&J | Mudança se faz no dia-a-dia

A J&J muda, cotidianamente, as vidas das pessoas. E eu sei exatamente quando a Johnson's marcou a minha vida.

Meu nome é Gabriela Branco e tenho 23 anos. Gosto de arte, música, bem como de jogar rugby, viajar, ler, ver séries e comer comidas diferentes.

Campeonato conquistado pelo Rugby XI em Janeiro de 2017
Deserto de Fez no Marrocos
Jantar recente com prato de Polvo no Restaurante Vista, no MAC USP, em São Paulo

Os meus interesses de pesquisa são: ler sobre negociação, como também pesquisar os efeitos de programas sociais e empresariais, medidas econômicas e politicas públicas nas vidas das pessoas (o que me motivou na escolha do tema do meu TCC).

Dia de entrega do TCC em setembro de 2018
Fotos do protocolo de TCC e Versão encadernada contendo dados sobre o assunto abordado na pesquisa

Atualmente, estou cursando o 5º ano de Direito na Universidade de São Paulo. A verdade é que eu não posso negar que tenho grande apreço pelo fato ter conseguido entrar na USP e, sobretudo, o quão grata sou por tudo que obtive à partir desta conquista.

Dia das fotos de formatura no monumento histórico da fachada da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo — USP

Porém, meu maior orgulho é ter sido criada pela pessoa que mais admiro e desejo bem: a minha mãe. Ela é meu grande exemplo de garra e perseverança feminina triunfante no mercado de trabalho. Minha mãe conseguiu se consolidar em uma grande instituição financeira e, ao mesmo tempo, ser a mãe mais presente possível, enquanto mãe solteira.

Eu e minha mãe em seu aniversário de 60 anos em Janeiro de 2017
Dedicatória do meu TCC

Então, como não poderia ser diferente, sou muito orgulhosa de ter tido a sorte que tive e de ter crescido em um meio onde o esforço e o mérito são partes da ética do dia-a-dia, mesmo quando as coisas estão extremamente difíceis.

Desde meados de 2015 eu tenho síndrome do pânico. Contudo, mesmo vivendo essa triste realidade, jamais deixei de perseverar naquilo que almejei. E, exatamente porque o esforço é a regra da minha vida, orgulho-me, também, de sempre ter buscado a excelência em tudo que tentei — não tão somente acadêmica, mas, sobretudo, enquanto ser humano — mesmo quando a dificuldade imperava.

Por isso, durante a graduação sempre tentei imergir na realidade que me foi ofertada para continuar motivada, ainda que o medo tentasse me entravar. Assim, participei de mais 10 grupos de estudos e extensões, ajudei a fundar alguns grupos, fiz intercâmbio por mérito acadêmico, estagiei, vivi outras culturas na pele, pude ter contato com a interdisciplinaridade e, principalmente, com pessoas diferentes.

Campi da Universidad Carlos III de Madrid
Logo do Centro de Estudos de Mercado da USP
Logo do Grupo de Negociação da USP

Entretanto, o que mais pude fazer ao longo desses últimos anos foi criar empatia por realidades diferentes das minhas. Assimilar as necessidades dos outros, me fez entender que individualidade e respeito são os que nos torna incríveis e complementares.

Ao longo de minha curta trajetória, fiz trabalho voluntário prestando assistência jurídica gratuita à população da cidade de São Paulo no Departamento Jurídico XI de Agosto, trabalho do qual muito me orgulho, e pude ver que pequenas coisas — coisas notadamente cotidianas — podem mudar totalmente a vida das pessoas. E esse é o motivo pelo qual eu quero ser trainee da J&J. Estando com vocês, poderei lidar com pessoas, que é meu maior encantamento e, mais que isso, poderei ajudá-las, com responsabilidade e transparência, a melhorar os respectivos cotidianos, fazendo o que gosto, que é estudar o impacto econômico das medidas grandes empresas na vida das pessoas.

Eu imagino que se você chegou até aqui, talvez esteja pensando porque alguém que veio do Direito mudou tão drasticamente o seu percurso para buscar uma área financeira ou comercial em empresa — e é isso que eu quero endereçar.

Meme da Nazaré Tedesco — referencia pop de memes necessária — para ilustrar confusão

Minhas assertividade, empatia e inovação, que são características que notadamente meus amigos falariam sobre mim, me levaram para a situação de mudança que mais marcou minha vida: sair do escopo tradicional do Direito para ter centralidade nas demandas das pessoas.

Eu e meus grandes amigos, na Sala da Academia de Letras da FDUSP — entidade da qual fizemos parte

No começo deste ano, saí do escritório no qual estava encaminhada para tentar seguir meu sonho — qual seja estar próxima da afetação da realidade das pessoas.

Ou seja, ter um propósito social ademais da litigância ínsita ao Direito. Por estes motivos fui para uma área comercial de Banco, onde pude utilizar todo saber que adquiri com a interdisciplinaridade e humanidade que o Direito me trouxe, mas estar diante das mais distintas realidades.

E, talvez, mais um grande orgulho meu tenha sido possuir esta coragem em meio ao medo que assolava minha vida para me arriscar com o intuito de perseguir um sonho. Por um outro lado, talvez evidencie um arrependimento — de poder ter otimizado meu tempo tendo buscado essa mudança antes (fazendo economia, por exemplo). Porém tudo serviu como crescimento pessoal e aprendizado e, hodiernamente, eu amo a confluência do Direito que assumi como minha — foco em um direito que se preocupa com os efeitos preventivos e consequências.

Estes caminhos me levaram a entender que para estar próxima da mudança, eu devo fazer parte dos agentes de transformação. E acredito que a J&J é um na vida de muitas pessoas, exatamente como foi na minha. Uma grande empresa internacional e tão impactante, inclusive no mercado brasileiro, pode me apresentar um plano de carreira e crescimento profissional e pessoal. Isso é o que busco: me profissionalizar, me desenvolver e aprender todos os dias com as "disrupções" que podemos gerar nas vidas de outrem, independentemente do backgound que tenhamos antes de decidirmos fazer parte deste novo plano de mudança (como eu tenho).

Logo J&J capturado no google em 23 de outubro de 2018

Deste modo, quero ser lembrada como alguém que ajudou as pessoas a viverem em um mundo melhor e respeitoso — impactando vidas nos seus pormenores. Este é um propósito que casa com tudo que busco antes mesmo de saber que era algo que desejava para a vida profissional.

Então, alinhando nossos propósitos, eu posso provar que a J&J muda vidas cotidianamente.

Aos 10 anos fiz uma aposta com a minha mãe: se eu conseguisse reunir votos suficientes de familiares, ela me levaria frequentemente para alisar os cabelos. Caso eu perdesse, eu conviveria com o cabelo cacheado que, até então, desgostava.

Eu, pequenina, com os cabelos cacheados

Não preciso nem entrar nos detalhes de como se passou o “causo”, mas como imaginado, eu não ganhei. Passei anos com a autoestima prejudicada, quando, em 2008, a J&J contemplou meu cabelo “cheio de cachinho”, trazendo confiança para a minha vida.

Essa foi uma das vezes em que vivi na pele o propósito da J&J e sei que quero ser esse agente para outras pessoas.