Medianeras CWB

Um texto sobre ser uma pessoa fodida na era virtual

Começa assim, vou fumar um cigarro às 3 da tarde na janela, porque sou ansiosa e um próximo mês está chegando, meu contrato precário de professora acabou no ano passado e eu aguardo com um medo de deixar a Regina Duarte com inveja, da minha janela penso em como pagar as contas e observo um sujeito do outro lado fumando também. Aí vem um lance de empatia, porque eu imagino que ele também esteja fodido.

Infelizmente eu sempre tive essa mania horrível desde criança, de pensar que às vezes minha vida parecia um filme, o cinema deu uma bugada feia no meu cérebro. Deve vir daí essa esperança de que vai ficar tudo bem. Então eu romantizo esse fundo do poço no qual me encontro, imaginando que até seria bonito se tivesse uma fotografia e uma direção de arte

Ainda não sei como vou pagar as contas e tomara que esse roteiro nonsense vire novela das seis, não adianta ser bonito e ser fodido.

Like what you read? Give Gabriela Bandeira a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.