1. Somos tão bem-educadinhos

É complicado. Todo julgamento é complicado. Você cresce dentro de uma educação bem-intencionada, mas falha como toda educação é sob o ponto de vista do outro e depois vai lidar com as diferenças. Um dia e depois o outro.

É complicado pois cada um é um, tem a própria cabeça e foi criado de um jeito. Sofre com suas limitações, uns mais, outros menos. Não que seja obrigatório, mas tem um conjunto de características que vai tornando a vida mais difícil.

Mulher? Negro? Homossexual? Sem pai? Não estudou? Para cada sim você perde pontos no jogo da vida… mas começar zerado não garante nada.

Tem machismo pra todo mundo, violência de todo tipo, droga, porque afinal diversão é um conceito obscuro. Cultura é qualquer coisa, é um remendo. Porque depois da grande amnésia, o que sobrou foi grito, medo e talvez anestesia.

Imagem: Google.com

Os dados de cada um são lançados ao acaso e depois é se jogar. Você faz um movimento e espera. Se der sorte e se começar bem, a vida é um bailado, se não é uma batalha. Nada que não possa mudar em algum momento, as regras não são fixas.

Quase sempre é batalha. Você escuta que está errado, que não é bom o suficiente. Escuta que seu cabelo é feio, que suas tentativas de qualquer coisa são patéticas.

Você é ameaçado porque é mais fraco. Apanha porque é bonito, porque não deu atenção, porque sorriu demais. Olha para o céu e tropeça, para o chão e bate a cabeça.

Sonhar não é permitido, ter ideias pode ser perigoso, e o risco nem sempre é proporcional. No final do dia, onde é que estamos, afinal?