Feliz Ano Velho


Esses dias eu encontrei um livro antigo que eu li quando tinha uns 12 anos. O "Feliz Ano Velho" do Marcelo Rubens Paiva é com certeza um clichê para toda minha geração. (Leitura obrigatória para todo mundo que esta quase nos 30 anos).
Após ler algumas páginas fui lembrando aos poucos da história do cara de 20 anos, jovem e super livre, que sofreu um acidente e ficou tetraplégico.
Fiquei pensando sobre como ainda me choco com a história e como seria horrível viver em uma cadeira de rodas ou em cima de uma cama sem poder me mover.

Hoje dia 30 de Dezembro acordei pensando em quão maravilhoso foi meu Ano Velho e de tantas cadeiras de rodas eu me livrei. De todas as grandes mudanças sejam elas de país, trabalho, relacionamentos e até mesmo estilo de cabelo, eu julgaria a mais especial: Me sentir completamente livre.

Se você acha chato ler sobre as minhas conquistas, fique tranquilo...eu também acho muito chato esse egocentrismo. Logo, só vim escrever sobre o que eu desejo para o último dia do seu Ano de 2016.

Para todos os meus amigos, familiares e até desconhecidos que essa mensagem alcançar, eu desejo que daqui um ano, você olhe para trás e tenha conseguido:

Fique perto de quem você ama.
É clichê, mas é verdade. Um dia todos vão embora. Simples e direto. Aproveite o tempo que tem de almoçar com seus avôs, de beijar sua mãe, ajudar seu pai, discutir por besteira com seus irmãos e rir com os amigos. Depois que o tempo passar, nada vai voltar.

Mais contato com pessoas de idéias brilhantes.
Acredite, elas estão por aí. Ávidas por novos projetos, novos assuntos, prontas para abrir algum negócio ou simplesmente abrir um espaço novo na sua mente. Graças a Deus o meu 2015 foi cheio dessas pessoas que parecem mosquitos e que quando te picam com suas idéias, você não volta ao normal.

Seja discreto e simples.
Nada mais apaixonante do que as pessoas que não se expõem e não vivem de aparências. Encontrar com amigos assim é muito mais gostoso, a conversa nunca acaba, sabe?! Como é bom receber uma ligação de um amigo que lembrou do seu aniversário sem ajuda do Facebook. Gente que não se preocupa com selfie, só vive. Quanto tempo ja perdemos com essas besteiras?

Mais doações e amor ao próximo.
Tem tanta gente precisando de afeto por aí. Será que não tem como doar seu tempo para ajudar alguém? Mesmo que seja com uma conversa ou simplesmente um café? 
Esses dias meu amigo me disse que de 15 em 15 dias ele leciona inglês para pessoas carentes. Achei tão genuíno e pensei como tem gente boa e creativa soltas no mundo. Graças as pessoas doadoras, que encontrei em 2015, pude viajar o mundo. :)

Verbo: "Libertar". Do latim: Caia fora, se manda, pica a mula...
Mas não deixa o Novo Ano entrar/ sair e você permanecer preso ao que não te faz bem. Mais do que se libertar das "prisões" que vem de fora, tenha muita atenção nos padrões que você se obriga a seguir, as pessoas e os lugares que se obriga a conviver e principalmente seus sonhos e objetivos que deixa de lado. Como disse em outro texto, as coisas boas acontecem quando você se permite ser quem sempre sonhou em ser. Se você tem vontade de começar uma nova faculdade, novo trabalho, novo vestido, novo relacionamento ou até mesmo nova cidade: Vai em frente. 
Acredite no poder das suas idéias!

Cultive a fé.
Tenha fé e não deixe de acreditar nunca. Todos os dias milhares de surpresas boas são enviadas para sua vida. Fique atento e trabalhe muito duro.
E por fim, seja grato e compartilhe o bem com os outros.

Feliz Ano Novo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gabriela Ermini’s story.