O movimento Maker transpira inovação.

Por Gabriela Izique

Aberto e colaborativo, ele conecta a geração que prototipa suas ideias.

Muito além de qualquer modismo ou tendência no mundo digital e tecnológico, o movimento dos fazedores tem no seu DNA a inclusão digital, a economia compartilhada e os modelos afinados com a mentalidade do Open Source (código aberto).

É um movimento que nasceu na web e vem ganhando corpo físico e estrutural desde então; compartilhando o conhecimento e o fazer em mais de 60 países e quase 450 laboratórios espalhados pelo mundo.

Fab Lab House de Barcelona. Modelo Sustentável de suficiência energética.

A ideia de produção baseada nos modelos ágeis e do lean startup, são a base do movimento MAKER.

Quando você você prototipa, troca informações por meio dos códigos abertos (Open Source) e ainda pode contar com a ajuda da comunidade hacker, que está sempre um passo à frente às múltiplas possibilidades entendidas e viabilizadas hoje pelo mundo da web, você escala de maneira relevante seu potencial de sucesso.

O modelo está ressignificando e democratizando não só a informática, mas também impactando de forma abrangente a educação. 
Estes espaços estão sendo vistos como as bibliotecas do futuro!

Não é genial pensar que as bibliotecas serão lugares vivos?

Um local para a experimentação e o fomento para empreendedores, instituições e autodidatas vivenciarem uma maneira diferente de experienciar o trabalho.

Os fabulosos espaços

Os Fab labs são espaços abertos à comunidade que dispõe de ferramentas que permitem a fabricação de quase tudo. 
Vão desde Máquinas de corte a laser, CNCs, impressoras 3D, placas eletrônicas e até algumas ferramentas avançadas para instrumentação como os osciloscópios e estações de solda.

Exemplos de estações Makers dos Fab Labs em São Paulo.

Focados na prototipação, os locais trabalham com a viabilização dos “protótipos de processo” que são as primeiras versões de um produto. 
As versões Beta.

Quando o conhecimento, o fazer e a resolução de uma questão ou problemas são colocados em prática, você consegue observar o envolvimento social acontecendo sem barreiras.

É o ecossistema do compartilhamento evoluindo as relações sociais.

Podemos falar tanto em aspectos de hardware quanto de software; com as informações disponíveis abertamente, e as facilidades em incorporá-las e modificá-las sempre irão gerar o bom e velho colaboracionismo.

Nos laboratórios já foram criados protótipos que já estão em uso e impactando de forma muito especial a nossa sociedade; como é o exemplo das próteses em impressoras 3D.

Um modelo apaixonante é o da e-NABLE . De cunho colaborativo e internacional, ela fomenta o desenvolvimento de próteses para membros superiores.

A expertise de gente conectada em diversas áreas que consegue realmente mudar para melhor a vida de muitas pessoas.

Confesso que fiquei emocionada ao ver a proporção do que é criado e do potencial infinito existente em cada um desses protótipos.

Todos acessíveis, livres e cheios de amor :)

Ao acessar o site você pode baixar os tutoriais, os código (todos abertos, vídeos e receitas).

À esquerda, uma das imagens de um protótipo feito no Fab lab de Gana (África).

Há diversos protótipos criados nos mais variados países, todos interligados pela comunidade e-NABLE.

É fascinante e você pode fazer parte dele. Todos nós podemos.

A e-NABLE é uma network de voluntários apaixonados por tecnologia, usando a impressora 3D para oferecerem ao mundo “ uma mão amiga”.

Um entre as dezenas de protótipos criados pelos e-Nable´s.

Essa linearidade de pensar e fazer, aliado ao conhecimento, baseado em estudos, daS Ciências, da Filosofia, da Tecnologia formam o DNA do movimento Maker.

O movimento D I Y (Faça Você Mesmo)

A rede Fab Lab iniciou seus trabalhos há 10 anos, quando Neil Gershenfeld, um professor do MIT e diretor do Centre Of Bits and Atoms (esse site é genial!), decidiu dar aulas sobreHow To Make (almost) Everything (Como fazer quase de tudo).

O sucesso das aulas foi tamanho que e o professor identificou nas pessoas um prazer em fabricar as coisas com as suas próprias mãos, em materializar seus sonhos.

Universidades, instituições e comunidades do mundo inteiro se identificaram com a causa e assim surgiu o movimento em rede do Fab Lab.

O conceito do Faça Você Mesmo ganhou força com a Maker Magazine e o conceito do DIY ( Do it Yourself) a revista norte americana que promove a conhecida Make Fair em NY (feira Maker de NY).

Há também outros grupos, como os Maker Media donos da revista Makezine e proprietários do evento Maker Fair.

Eles são responsáveis por transformar o movimento nos festivais da economia compartilhada.

Esses festivais convidam as pessoas a levarem seus projetos prototipados para o grande público.

A maior feira hoje em dia acontece na Casa Branca em Washington DC e está viajando o mundo todo, em novembro o Brasil será sede da primeira feira de invenções do mundo a Maker Faire.

Se preparem, fazedores!

Maker Faire na Casa Branca em Washington DC. Obama e um dos Makers.

Os fazedores no Brasil

Heloísa Neves, idealizadora e estudiosa do assunto criou o We Fab (espaço de criação estratégicas para inovar a partir do conceito do maravilhoso universo Maker).

Heloísa foi diretora da rede brasileira de Fab Labs, ela trouxe muito da cultura Maker para o Brasil, depois de ter estudado na Fab Academy (Espanha) que tem o curso baseado no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. 
Heloísa é professora do Instituto Insper e uma das mulheres mais influentes do movimento.

Todo meu respeito para você, Heloísa! ;)

Heloísa Neves e a impressora 3D ( crédito da foto :Revista Época)

Caso queira saber mais sobre o trabalho sensacional que Heloísa desenvolve, você pode acessar esse vídeo/workshop do TED/Ibmec chamado “ Você ainda vai ser um Maker”. (link)

Aqui no Brasil e em outros países a combinação de Crowdfunding ajuda os fazedores a colocarem seus protótipos no mercado. 
É o caso de um dos mais conhecidos Fab lab do Brasil: O Garagem Fab Lab.

Eles têm diversos projetos e um deles ficou muito conhecido e ganha destaque por ser uma Bike Elétrica Ecológica e Open Source feita em parceria com uma equipe polonesa e está sendo construída e usada em comunidades brasileiras.(Manual em pdf no link).

Faça a sua!

Bike elétrica e ecológica feita no Garagem Lab. Destaque internacional

Essa turma ajuda pessoas a criar projetos diversos e a maioria deles vai para o mercado por meio do financiamento coletivo do Catarse ou outros como oKickante.

É a combinação mais que perfeita do pensamento compartilhado, do “mão na massa”, do co-working, do open design acontecendo diariamente e nas “Garagens laboratórios”.

Já há no Brasil 22 laboratórios como este (abaixo) em funcionamento.

Fab Lab Cidade Tiradentes em São Paulo

Este mês de março, em São Paulo estão sendo entregues pela Prefeitura de São Paulo mais 8 unidades para agregar aos quatro que já existem na cidade.

Parte interna dos laboratório Faboloso.

O primeiríssimo Fab Lab do Brasil, está localizado dentro da FAU-USP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) e foi implantado em 2011.

Marcando o primórdio de um movimento que só tende a crescer e ampliar a rede de conhecimento no País.

Fab Lab da FAU-USP

Já funciona em Sampa os seguintes laboratórios :FabLab Olido, FabLab Cidade Tiradentes, FabLab Casa da Memória (em Itaquera) e FabLab Penha (no Centro Cultural da Penha).

O movimento ganha expressão e adeptos a cada dia, e há blogs como por exemplo o Fazedores que tem como premissa criar um ponto de convergência e integração para os inventores .Reunir pessoas e suas engenhocas.

Um local para discutir projetos de robótica, eletrônica, arte, softwares como o Arduino, Raspberry Pi , workshops , temas como sustentabilidade e maneiras novas de conceber serviços e produtos.

O blog Fazedores foi criado por Manoel Lemos, um engenheiro da computação e apaixonado por tecnologia que hoje fomenta a cultura Maker. 
Lemos é sócio da Redpoint Eventures, o primeiro fundo de Venture Capital brasileiro patrocinado por fundos do Vale do Silício.

Nossa primeira feira de invenções!

O Brasil entrou oficialmente na rota MAKER e vai ter a primeira versão do festival de inventores agora em Novembro !

Quanto orgulho, minha gente!

A programação da Maker Faire Rio de Janeiro é gratuita e faz parte do festival de inovação, tecnologia e criatividade e negócios criado em 2006, em Amsterdam.

Acontecerá de 3 a 5 de Novembro de 2016 no Parque Lage, Rio de Janeiro. 
Uma parceria viabilizada pelo Nuvem Criativa /do Picnic Brasil.

Evento da Picnic Maker Fair em Amsterdã.

A cultura Maker no Brasil cresce e ganha corpo a cada dia. Estamos no caminho de um ecossistema tecnológico que irá transformar socialmente a educação, o empreendedorismo e o conceito do trabalho.

O futuro das relações já acontece em cada um das modalidades disruptivas e inovadoras que estão revolucionando o nosso viver.

A internet das coisas, as coisas da internet, as fintechs, os bitcoins, os frameworks ágeis e as metodologias que simplificam o aprendizado provam diariamente que o que chamamos de futuro, na realidade está acontecendo agora. 
Faça parte. Colabore e aprecie novas maneiras de FAZER a vida!

Somos todos fazedores.

Bem vindos!

Se você gostou do texto e quer ler mais, ficarei feliz se você seguir minhas postagens por aqui ou no LinkedIn.

A ideia aqui é que você se sinta em casa. 
Puxe a sua cadeira virtual e dê sua opinião!

Gabriela Izique
izique.gabriela@gmail.com

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gabriela Izique’s story.