Vem surgindo um novo tempo

Eu passei os últimos dois meses em um processo gigaaaaaante de crescimento. As vezes eu tenho a sensação que esses dois meses foram tão intensos, fortes e mexeu tanto comigo que parece que se passaram muitos e muitos meses. Nossa referência de tempo é muito limitada e muito baseada nas nossas vivências. Quando escuto: “o tempo é relativo”, nossa como eu concordo.
Fazendo uma análise dos últimos meses, eu percebo que eu pude acessar dentro de mim muitas crenças que me limitavam ir além de qualquer coisa diferente daquela crença. Algumas situações:

* Eu queria muito o apoio dos meus pais para o momento que eu estou vivendo. Apoio moral mais do que tudo. Um dia, quando estava muito muito triste, muito querendo um colo do meu pai, sem palavras nenhuma apenas encostar a cabeça no ombro dele e ficar ali sem tempo, só sentindo a PRESENÇA dele, sem críticas, sem julgamentos. Foi exatamente o dia em que ele me chamou para almoçar e descarregou uma série de preocupações em mim, com relação a minha relação com a minha mãe, com a minha postura familiar, com o momento em que eu estava vivendo, trazendo a experiência que ele teve quando era jovem e que não “deu certo”. Que logo teve que voltar pra vida real e sair da utopia hippie. Despejou toda sua frustração em cima de mim e me dando recados nas entrelinhas para eu “cair na real” logo (foram minhas percepções). Ele terminou de falar tudo e disse: “vamos? Tenho médico daqui a pouco”. Eu fiquei tão sem reação que eu fiquei muda. Percebi naquele minuto que algo estava diferente no meu cérebro, nas minhas células. Eu quis acessar o meu eu antigo, ficar puta com ele, mostrar pra ele que ele estava errado, que a história dele não é a minha, que eu não preciso carregar as frustrações dele, bla bla bla. Mas não veio nada disso (veio um tiquinho sim, mas não foi tão voraz). Quis sentir aquela vontade de deitar na cama e só chorar e chorar, mas também não aconteceu. Encontrei uma amiga que me trouxe um super insight: olha como a vida estava me dando a oportunidade de trabalhar o autoamor. Mais uma vez eu estava buscando no externo (no meu pai), o acolhimento que eu queria. Agora era o momento de eu ME colocar no colo. O colo que eu estava querendo dele era pra ser o momento do meu colo pra mim. Entrar nisso dai. Foi aí que eu olhei muito mais abertamente para o meu auto acolhimento e auto amor e coisas mudaram…

Aprendizado 1: ninguém ensina a gente a buscar dentro da gente a cura para tudo que precisamos. É sempre no externo. E o externo é maravilhoso, é óbvio que é bom termos isso, mas enquanto não formos capazes de nos auto acolher, as coisas não serão tão genuínas.

Aprendizado 2: a forma como meu pai veio falar comigo, foi a forma como ele sabe e pôde demonstrar seu amor por mim e sua preocupação com o meu momento. Esse é o jeito dele de me amar. De novo, eu estava querendo que ele me amasse do jeito que EU queria, pra me satisfazer. Acessando o ego bem egoísta de ser.

Aprendizado 3: a gente pede e o universo nos ajuda sim. Estava preparada para vivenciar essa situação e tirar os aprendizados. Meu cérebro e células já tinham entendido e saído de um padrão e entrado em outro. Entrar no novo da essa sensação estranha. Queria voltar aos padrões antigos (fica puta, chorar de raiva…), mas meu organismo já estava em outro campo. É preciso um tempo também para nos adaptarmos ao novo. E isso é fantástico.

Aprendizado 4: Quando você muda, o outro muda. É uma lei. Minha frequência vibratória mudando, tenho sentido como tem mudado a frequência de pessoas ao meu redor. E eu por causa delas. É lindo como eu venho sentindo mais compaixão e menos necessidade de julgar os outros. E sinto isso dos outros também. Estou mais leve!!!!!!!!! Sinto mais leveza na vida….
 
* Eu me coloquei na vibe da escassez por um tempo. Escassez de movimento, de presença, de autoconfiança, de dinheiro, de amor, de mim. Vivi um período após o congresso de não querer pensar muito, de deixar meu lado negativo vir a tona, de olhar pra ele, poder ver que isso faz parte de mim. Eu sou feita de sombra e luz. De positivo e negativo. Os dois pólos sou eu. Sim eu posso ter raiva, ter frustrações, ser possessiva, de não acreditar que sou merecedora de receber amor e dinheiro pelo que eu tenho de melhor dentro de mim e que isso possa dar dinheiro.

Aprendizado 1: quebrei a crença de que eu não posso ser merecedora de receber abundância de amor e financeira pelo que eu gosto de fazer e pelos meus talentos naturais. Venho exercitando diariamente o auto acolhimento e me permitindo SENTIR que eu posso tudo isso. Aliás, a neurociência e a física quântica explicam que se você começa a sentir no seu corpo como você gostaria de estar, como seriam as sensações depois que você consegue o que quer, as suas células começam a se conectar com outras moléculas gerando outras sinapses no seu cérebro, atraindo assim energeticamente situações afins e semelhantes ao seu sentimento. Então faz um tempo que eu venho me colocando diariamente em minhas meditações nessa frequência de merecimento, de plenitude, de abundância. E é impressionante como começam a surgir vibrações, pensamentos, pessoas e situações totalmente condizentes com esse sentimento. Provem!

Aprendizado 2: Pedir ajuda é um santo pedido. Quando a gente pede pro universo, pra Deus, para os espíritos, para a energia cósmica, para o que você quiser. Quando você se conecta profundamente com o pedido de ajuda, a ajuda SEMPRE VEM. Ela vem!!!!!!
 
Aprendizado 3: Todo mundo está muito focado em si, de uma forma egóica. Ninguém está muito preocupado com a sua vida, nem você tanto assim com a dos outros. Então porque a gente nasceu e se criou com o pensamento: ”o que os outros vão pensar”?. Cara, realmente, o máximo que pode acontecer é a pessoa ver, analisar, fazer um julgamento, um comentário, soltar um veneninho e pronto. Depois ela volta pra vidinha egoica dele (e nós a nossa). Então porque é tão grande essa preocupação com o outro? Muito maluco como somos carentes e queremos sempre ser perfeitos e aceitos pelo outro!
 
Aprendizado 4: Quanto menos eu falo, mais eu aprendo. Existe um certo tipo de comportamento comum quando a gente começa a entrar nessa de espiritualidade a autoconhecimento, que tudo que a gente acessa mentalmente, coisas que a gente aprende e faz sentido, logo a gente quer ser propagador daquilo, quer compartilhar, dar palestra, ficar comentando com os amigos….. Mas eu percebi, que mais uma vez isso é um super espelho, pois tudo que a gente fala pro outro, é o que mais a gente precisa ouvir. Ou seja, tudo é pra gente. E eu percebi como eu tenho assimilado no sentimento, no coração esses aprendizados dos últimos tempos, e fizeram tanto sentido que eu não tenho tanta vontade de ficar falando tão a fundo isso só por falar. Não sei explicar, mas essa vontade vai diminuindo cada vez mais. Essa vontade egoica de ser ouvido. Hoje eu sei diferenciar bem melhor o que é ego e o que é compartilhamento construtivo (por isso estou aqui com vc, hehe).
 
 
Aprendizado 5: quando a gente se frustra, o problema é todo nosso, porque o outro, coitado, nunca tem culpa de nada porque quem colocou a expectativa na pessoa/ situação fomos nós, então a culpa da frustração é toda nossa. Nada tem a ver com o outro. Então meu bem, aprendi que menos é mais. Menos expectativa, mais qualidade de vida ;)

Aprendizado 6: auto acolhimento é vida. Se eu não me sentir merecedora, se eu não me acolher e não me amar, não acreditar em mim, quem vai? A pessoa mais importante do mundo pra mim, tem que ser eu. Ninguém ensina muito a gente a amar a si mesmo. Tem uma coisa meio narcisista de pensar nisso, não tem? Mas fazendo essa liçãozinha de casa, que é diária e eterna, dá uns bons momentos viu…..

Aprendizado 7: TUDO PASSA! Sim eu falei isso em outros textos, eu sabia disso, e eu realmente venho exercitando viver tudo bem intensamente. Porque eu sei que passa. Passou aquela dor daquele momento, aquela fase tão forte e construtiva para o meu ser. Consegui passar por ela e tirar muito fruto, muito amadurecimento. Agora estou conectada em uma outra frequência tão importante quanto, que também vai passar e migrar para outra condição, mas agora que ela chegou, vou vivê-la intensamente, assimilar todas as lições e aprendizados, pois esse negócio de VIVER O PRESENTE com consciência e ser uma pessoa mais presente, está ficando bom ;) Afinal, a vida é feita de vivências e momentos. De plantações, de cultivos e de colheitas….. de ciclos…..

E tudo isso só está acontecendo porque eu me coloquei na prioridade. Porque eu escolhi criar essa realidade. É clichê, mas só eu posso fazer tudo isso por mim. Só eu. Imagina depois disso o quanto o universo está pronto pra fazer por mim. E isso é lindo!!!!!