A solidão íntima

Vamos a cama juntos todas as noites
sinto que posso te satisfazer
entregar-lhe cada um dos meus sentimentos
te matar aos poucos de prazer
tocando suas curvas acentuadas pela penumbra

Você prova dos meu equívocos
provando minha insanidade mesmo lúcido
elevando meus gemidos a níveis extremos
como um ritmo progressivo eletrônico 
um estágio tácito de solidão emocional

Consumando minha poesia
louvando pragas e sujeiras
rimando deuses e ilusões 
consumindo livros e experiências 
tragando fumaças e canções

Estou ironicamente vivo
ainda que vividamente morto