Ensaio sobre um paradoxo

As pessoas ao meu redor continuam a repetir o que já disse a mim anos atrás

Você consegue ser melhor que isso
Pare de se fazer de vítima
Você tem muitas qualidades, por que só enxerga os defeitos?

Minha mente criou um paradoxo a qual se resume a procrastinação da vontade de viver, enquanto lá no fundo as coisas parecem e deveriam ser simples.

Erasmo 
Vamos Gabriel é fácil ir até a academia! Primeiro levante-se da cama.
Gabriel
Eu sei que é fácil mas…
Erasmo
Mas o que? Você sabe que ficar aqui não vai lhe fazer bem!
Gabriel
Eu sei que não vai, mas ainda sim…
Erasmo
Por que você tem que tornar tudo tão difícil? Levante-se!
Gabriel
Eu não quero!
Erasmo
Então morra!
Gabriel
Eu também não quero!
Erasmo
Você é um fraco, inútil, eu te odeio
Gabriel
Eu também…
Erasmo
Me escuta! Tem muita coisa boa guardada aí dentro do peito, nem tudo que você nutriu se tornou veneno. Onde está aquele sorriso esperançoso que proclamava amor a todos ao seu redor? Onde está aquele que estendia a mão para ajudar quem precisava e sempre tinha a quem abraçar?
Gabriel
Abandonei-o há alguns anos
Erasmo
Não, você apenas esconde-o por medo, se tornou um covarde que se esconde da vida.
Gabriel
Me desculpe

Encarcerado pela própria mente
torturado por pensamentos vagos e obsessivos

Tentado pela saída mais fácil
recluso por vontade própria

Acovardando-se pela incerteza
dominado por natureza

Fugindo da realidade
entope-se com mentiras patéticas
enganando-se ao pensar que está a frente
quando virou as costas para si

A mesma mão que usou para escrever sobre as dores
apunhalava-te por trás

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.