Jogou onde?

Em meio ao pior Campeonato Brasileiro de todos os tempos, o principal assunto da quarta-feira não foi o confronto do primeiro contra o segundo colocado, muito menos o duelo dos tricolores desesperados. O assunto que não saiu da boca dos jornais foi a fala de Robinho, que em uma discussão com um jogador da Chapecoense mandou o famoso “Jogou onde?”

Não preciso nem dizer que o mundo vem caindo em cima de Robinho desde a atitude. Se fosse um Zé Ruela dos anos 90, logo apareceria a galera do “chuteira preta”, “esse era raiz”, “não ao futebol moderno” e semelhantes. E se fosse o tal do Ibrahimovic? Que é superestimadíssimo, sempre demonstra atitudes extremamente arrogantes e é idolatrado pela molecada que está condenando Robinho.

A terceira Lei de Newton diz que “toda ação gera uma reação da mesma intensidade”. Vamos lembrar que o jogador da Chapecoense estava de costas para a câmera e com certeza falou algo para Robinho, que retrucou. Mas qual a razão para condenar o atleticano? Por conta do seu trash talking dentro de campo?

Os mesmos que reclamam que o mundo está chato são os que quiseram condenar a atitude do menino Robson. Olhem para o próprio umbigo antes de falar merda, afinal, os mesmos mandam aquele famoso “Você sabe com quem está falando?” em qualquer discussão mais acalorada.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.