Passa aqui para me dar um abraço…

Foi muito bom ter te visto aqui. Nunca recebi muita gente, o espaço é apertado. 
Também nunca fui expert em fazer sala. Nossas conversas eram tão boas e tão íntimas que parecíamos possuir convivências milenares. 
Coincidências estranhas visto a diferença de idades e de histórias. De experiências e de gostos de mousse. Mas mesmo assim foi bom ter te recebido aqui. 
Tenho que confessar que fiz ajustes na estrutura, umas cores aqui e uns tapetes acolá, lustres e vasos de flores. Nunca havia cuidado de decoração nenhuma, mas fiz com prazer porque foi e é importante. 
Olha como são as coisas, eu é que deveria dizer: Fica! 
Mas não tenho a variedade de chás para lhe servir, tampouco disponho de criatividade para as conversas e muito menos tempo. Só posso lhe oferecer o meu, mas ele é velho e sem graça. Seu tempo está correndo e buscando horizontes que te façam mover montanhas. Não posso te prender servindo chás e sessões de cinema mudo. São outros tempos e novas salas virão com melhores recepções, mais amplas e acolhedoras.
Desculpe qualquer coisa, e passa aqui para me dar um abraço.

Gabriel

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.