DEMÔNIOS

Ouvi uma vez que demônio — não aquele que Jesus mandou para os porcos — é um pecado ou uma mania que alimentamos tempo o suficiente, para torna-la algo que nos impede de viver ou dificulta a nossa vida. 
Pensei em como criamos demônios, as vezes com muito zelo e cuidado os moldamos, outrora com mais resistência. Mas o importante aqui é saber eu e você criamos demônios que nos atormentam e nos fazem deixar de ser quem somos.

Sem perceber eles nos possuem, vivemos e nos movemos para eles. Passamos a não ser quem somos e sim o que ele quer que sejamos. É engraçado como damos um poder a essas criaturas. O criador é mais forte que a criatura, deve ser assim para que ele possa cria-la. Mas em nossas vidas não. Criamos seres e damos a eles o poder de tomar decisões que influenciam na nossa maneira de ser, na grande maioria das vezes percebemos isso quando já estamos tomados por eles.

Quando nos damos conta parece tarde demais, mas não é. É necessário exorcizar esses demônios, e o primeiro passo é dar nome. Tratar as criaturas pelo o nome, saber com quem está dialogando. lidar com problemas sem os ver é também não encara-los, é necessário jogar luz sobre eles. Saber com o que está lidando te faz capaz de pensar como lidar, assumir seus demônios é um passo essencial para o exorcismo.

É preciso expulsa-los para que a vida volte a ser sentida. A busca por algo que nos faça acobertar ou pelo menos esconder aqueles que nascem de dentro de nossas angústias é plausível até que não possamos mais controlar. Morrer para viver é um dilema existencial de cada dia.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.