Offline

me responde uma coisa, rapidão:

pra que serve a tecnologia? pra quê existe hoje esse monte de aplicativos, smartphones, tablets, cabos, internet, fibra ótica, satélites, etc? pra quê tudo isso foi inventado, em primeiro lugar?

pra agilizar, pra facilitar a nossa vida, nossa comunicação e o fluxo de informações em maior quantidade e em menor espaço de tempo; encurtar distâncias; nos aproximar, não foi? - todo essa ânsia que nós humanos sentimos de nos conectarmos uns aos outros e sermos notados uns pelos outros. uma forma de dizer para o mundo que nós estamos aqui, que nós existimos. certo?

(acompanha meu raciocínio)

beleza. então ta. hoje em dia é fácil. a gente não precisa mais comprar ficha para fazer uma ligação do orelhão do boteco da esquina ou estar em casa para isso. a tecnologia agora é móvel. tudo é mais rápido, fácil e acessível. praticamente tudo que a gente precisa, no mesmo instante, já ta lá. a apenas alguns toques de distância. agora tudo é touch. ao mesmo tempo que ta aqui, ta do outro lado do mundo. ali, pairando na nuvem e nesse universo digital infinito de dados, lugares e pessoas - todos conectados -um clique e pronto: temos um mundo inteiro de informações e contatos, literalmente, na palma das nossas mãos.

agora me responde outra coisa:

tu se lembra quando foi a última vez que tu ficou sem teu celular? sem poder ver o whatsapp, sem internet, sem poder acessar o face ou qualquer outra rede social dessas, sem poder ligar pra ninguém(algumas pessoas ainda usam o celular para fazer ligações normais). enfim, como foi??

tu se sentiu isolado, não foi? como um peixe fora d'água. tu se sentiu impotente. praticamente amputado... fala a verdade, vai!? não deu um desespero para interagir com o mundo? ali, online. conectado a uma rede. de longe.

mas e tu, tu contigo mesmo, sem celular, sem internet, nem SMS. nada. sem influências externas. nada disso. só tu. o teu momento. a tua vida. teus próprios pensamentos?? quando tu faz isso?

ao meu ver, essa massa e todo esse bombardeio de tecnologia e informação externa, o tempo todo, acaba meio que que nos levando na direção contrária, nos alienando, saca? e apesar de estarmos conectados virtualmente e de nos enchermos de informação, quanto disso tudo é verdadeiro, relevante e benéfico para nós e para nossos relacionamentos? quanto e o quê de tudo que vemos, postamos e/ou compartilhamos nas redes sociais 1. faz diferença nas nossas vidas; 2. nos importa realmente; e 3. colocamos em prática??

a impressão que eu tenho é que tanta tecnologia e informação, do jeito que é feito, só serve de aparência - de faz de conta. parece que a maioria de nós só copia e cola ideias, não pensamos e não criamos mais nada. ta tudo tão no automático que nós nem nos incomodamos mais. nós não nos falamos mais, chamamos no whatsapp. não conversamos, batemos papo ou deixamos um inbox. nós não usamos mais o celular para fazer ligações, mandamos e-mails. é uma porrada de informação na tela. janelas. botões. cliques. abas abertas. o tempo todo. tudo ao mesmo tempo. e o pior, muita coisa disso tudo NÃO SERVE PRA NADA. tanta fome de informação e de interagir de alguma forma e nós simplesmente engolimos tudo. mal digerimos e no final, não absorvemos quase nada.

é... ta cheio de "fast-food"(redes sociais, aplicativos etc) para atender a demanda de gente faminta de informação e interação social, querendo se enturmar - se comunicar - cada vez mais rapidamente, instantaneamente.

mas será que tudo isso faz bem pra gente realmente?

vivemos tão apressados e ansiosos com tudo que dificilmente paramos para olhar para dentro de nós, para nosso autoconhecimento e pensar nas nossas relações offline, cara a cara. nós e a nossa realidade. conectados de verdade. sem capa nem foto de perfil. estamos o tempo todo tratando com o que nos chega através duma tela, que deixamos passar pequenos detalhes todos os dias, como se a vida fosse só isso: mandar e receber mensagens, digitar, arquivar, encaminhar, compartilhar, curtir, deletar..

a vida é muito mais que isso! será que toda essa (falsa)sensação de proximidade que as redes sociais nos dão realmente nos mantém próximos, nos une ou, na realidade, nos afasta aos poucos do que somos de verdade??? seres humanos reais. não virtuais.

enquanto nós achamos que estamos vivendo pacaraleo postando fotinho no instagram, falando no whatsapp, vendo o face, a vida - a de verdade - passa despercebida e negligenciada e não dá pra simplesmente voltar como num vídeo. já era. já foi. perdeu, playboy!

teu instagram e teu face tão cheios de fotos bonitinhas, fofas e manêras pacacete, com legenda de momentos maravilhosos e inesquecíveis ao lado dos teus amigos, dos teus familiares, filhos, teu marido, tua mulher, namorado(a), enfim.. ta tudo APARENTEMENTE perfeito. mas e quando não tem ninguém olhando?? tu os procura, tu se interessa, se importa, tu se aproxima, tu, ao menos, conversa com eles?

olha, eu não tenho NADA contra a tecnologia a favor do homem. LÓGICO QUE NÃO. a ciência e a tecnologia tem gerado grandes benefícios para a humanidade. uma mensagenzinha no meio da madrugada ou no meio do dia ou logo de manhãzinha nunca vai fazer mal né ;) é docaraleo! mas acho que a gente anda precisando se DESLIGAR um pouco do virtual para nos LIGARMOS mais na vida real e no que realmente importa. em quem somos, o que pensamos, como agimos e como tudo isso repercute no nosso meio.

" mais do que máquinas precisamos de humanidade. mais do que inteligência precisamos de afeição e doçura. sem essas virtudes a vida será de violência e tudo estará perdido. ” Charles Chaplin

de verdade, estamos precisando de mais contato e não só de contatos. de mais toque e de mais tato. e não só de 'touch screens'. estamos precisando de mais conversa e menos bate-papo. estamos em falta de caráter e sobrando com os caracteres. precisando meter mais a cara no livro e de menos facebook. de mais abraços de verdade e não só de abç. de mais beijos no rosto, na testa ou então na boca mesmo(melhor ainda) e não só de bj. de muito mais atitude e não só de mensagens. mais paquera, mais flerte, mais olho no olho, mais sangue nas veias e menos 'tinders'. de menos conveniência e mais convivência, e mais vivência. precisamos de menos foto, menos mídia, de fazer menos média. precisando de menos vídeos compartilhados e precisando compartilhar mais a vida. e se for pra sair bem na foto que seja com a galera do trabalho, com os amigos da escola, do time, com a família e não só em fotos de espelho e 'selfies'.

o que realmente estamos precisando é de mais aproveitar e menos registrar os momentos. mais realidade e muito menos vaidade. estamos precisando demonstrar mais afeto. muito mais. e de querer se mostrar muito menos. menos instagram e mais espontaneidade. menos whatsapp e mais papo reto. menos curtir e mais gostar de verdade. precisando de menos perfis e mais personalidade. de menos solicitação de amizade e mais aperto de mão. de menos notificações (bem menos) e de mais boas novas. de menos adicionar como amigo e cultivar melhor as amizades. de menos faz de conta e mais verdade.

por fim, acho mesmo que estamos precisando nos propor a fazermos bem mais por nós mesmos e pela humanidade quando estamos offline.